06 julho, 2010

Livrarias e sebos: passeio ou negócio?

___Se alguém tivesse me ensinado isto na minha adolescência, eu teria conseguido evitar alguns tormentos. Dei alguns tropeções, chutei algumas pedras e, hoje, minhas retinas tão fatigadas me ajudam a ceder uma pequena lição a quem quiser ler: livrarias e sebos são diferentes e nunca devem ser tratados da mesma forma.
___Acha que a diferença é que as livrarias possuem livros novos e os sebos, velhos? Lamento informar que ou o seu modo de ver é um pouco pobre, ou, simplesmente, você não gosta de ler. A diferença entre os dois locais é mais sutil e apenas um Leitor pode entendê-la. Livraria é um local de passeio, de turismo; já os sebos, são próprios para compras, negócios.
___Ambos são templos de livros e um fiel esperto sabe qual a oração que deve ser rezada em cada um. Muitas das obras que são expostas em sebos não são mais editadas, são raras ou estão lá com um preço mais acessível. Nas livrarias, os livros costumam ser mais recentes, quase tudo que está exposto conta com outras trocentas cópias na editora ou na própria livraria.
___Sebo não foi feito para se passear, deve-se ir a um para comprar. Claro que um passeio a um sebo pode ser gostoso, é óbvio que existem alguns estabelecimentos aconchegantes nos quais costuma ser bacana sentar e ficar lendo (se o leitor não sofrer de rinite). Entretanto, como eu já disse, os livros dos sebos muitas vezes são únicos.
___– Amor, você viu que aquela edição linda do Moby Dick, da Cosac Naify, pela metade do preço?
___– Nossa! Não é o Cidade Ausente, do Ricardo Piglia, que está esgotado já faz um tempão?
___– Verdade que esse foi autografado pelo Saramago?
___Livro em sebo é que nem namorada oferecendo ménage à trois: talvez aquela oferta nunca se repita, aquela chance pode ser a única. Por isso mesmo é bom ir sempre preparado. Sebo é lugar para tentar, para procurar, para garimpar, mas sempre com dinheiro para o caso de surgir algo imperdível. Ou você acaba sendo obrigado a ir correndo a uma farmácia para comprar camisinha e, quando volta, a amiga da sua namorada já foi embora.
___Em uma livraria tudo muda. Se você encontrou um livro apaixonante, se você topou com aquela obra que você p-r-e-c-i-s-a, não há problema. É possível voltar no outro dia e encontrar o livro por lá. Existem um monte de cópias do livro. Se bobear, outras livrarias também vão ter aquela mesma obra.
___Livraria é lugar que dá para ir sem dinheiro, sem nenhum stress. Local próprio para passear, fazer turismo, ficar folheando livros, sentar e ler. Se precisar de mais tempo, no dia seguinte, a obra vai estar esperando o leitor. Naquela livraria ou em outra, seja para ler, seja para comprar.
___Depois que eu me toquei disso, parei de sofrer em sebos e relaxei mais ainda em livrarias. Ainda bem que, para mim, as bibliotecas nunca deixaram de ser um seguro final feliz.

7 comentários:

  1. O lance mais legal e mais difícil nos sebos é a paciência para garimpar... Eu acho que na época que eu colecionava quadrinhos, eu lembro te ter achado algumas coisas legais. No entanto, eu confesso que tem algum tempo que eu não freqüento sebos.

    ResponderExcluir
  2. Livro da Cosac Naify pela metade do preço significa que vai custar uns 300 reais, ainda :-p

    ResponderExcluir
  3. bibliotecas, amigo. bibliotecas. :)

    ResponderExcluir
  4. Muito bom o post, Adirt. Leio seu blog por feeds há algum tempo, nem sei onde te descobri, mas aqui sempre dá pra garimpar algo legal. Nesse caso, é algo que eu já fazia há algum tempo sem me dar conta da sistemática das compras em livrarias vs. sebos.

    Abraço

    ResponderExcluir
  5. Sempre tem a opção de achar de novo na Estante Virtual.

    Sebo já não é mais a mesma coisa...

    ResponderExcluir
  6. Realmente, André, a Estante Virtual fez uma diferença tremenda na minha vida de pesquisador. Só que lá eu vou direto para encontrar algo que já estou procurando. Nos sebos eu vou com grana para, caso encontre algo legal, levar.

    ResponderExcluir
  7. Adorei o texto e o blog como um todo. Concordo contigo quanto à diferença dos sebos e das livrarias. Da próxima vez que entrar em um, vou me lembrar do menáge à trois, só que na versão feminina, ou seja, dois pra uma! O que seria algo como achar Os Irmãos Karamazov autografado pelo autor...

    Abraços,
    Tati

    ResponderExcluir

Site Meter