28 dezembro, 2009

Linha tênue

___Manhã de um dia de folga. Como os vizinhos do andar de baixo já me proibiram de treinar sapateado muito cedo, sentei com minha namorada em frente ao computador para escolher um filme. Olhamos os horários dos cinemas próximos e anotamos quais combinavam com a nossa disponibilidade.
___Para escolher um filme entre as opções, olhamos os trailers. Não gosto de ler sinopses, elas parecem um resumo que o roteirista e/ou o diretor não quis divulgar. Por outro lado, os trailers muitas vezes são pré-aprovados pelos produtores do filme e, a não ser que saiam muito mal feitos, não costumam contar algo que estrague a história.
___Entre as opções estava um filme chamado Ervas Daninhas, de Alain Resnais. Segue um dos trailers (outros dois aqui):






___Ou o cara que dirigiu os trailers é genial, ou um completo maluco. Se o filme falar sobre “pessoas ervas daninhas”, pessoas que atrapalham as outras – tal qual Edouard Baer foi atrapalhado pelo estranho André Dussollier –, os vídeos são ótimos. A mensagem principal foi dada sem que isso fosse deixado claro. As outras opções são todas variações dos graves efeitos da lobotomia pela qual o cara que fez os trailers deve ter passado.

2 comentários:

  1. [...] ou deixe o seu e-mail. Volte sempre. #####Powered by WP Greet Box___No fim do ano passado, fiz um textinho jocoso falando do estranho trailer do filme Ervas Daninhas, de Alain Resnais. Cronos me forneceu sua [...]

    ResponderExcluir

Site Meter