24 maio, 2010

Alice no país dos não-leitores

Atenção: Este texto contém spoilers sobre várias Alices.


#####


___Eu estava animado para assistir o Alice no País das Maravilhas, do Tim Burton. Queria ver o filme porque gosto do Alice através do espelho, dos trabalhos de Burton e das atuações do Johnny Depp. As críticas negativas, entretanto, acabaram fazendo com que eu demorasse um pouco mais para ir atrás do filme.
___Agora que vi, digo: claro, não é o melhor trabalho do Tim Burton, mas é um filme bacana – para quem gosta dos livros do Lewis Carroll. Por isso mesmo, creio que os críticos não gostaram exatamente por causa dos livros; ou melhor, exatamente porque não leram os livros.


___Por exemplo, reclamar que uma montagem de Alicepeca pelo excesso”, é o mesmo que dizer que no filme dos Smurfs as personagens são muito azuis. A mesma crítica fica para quem diz que “os personagens simplesmente surgem na trama”.
___Por fim, vale comentar sobre a tradicional mania de endeusar um clássico. Clássicos não são perfeitos, pelo menos para quem os conhece. Afirmar que o desfecho de Burton “não só contradiz o non-sense de Carroll como, rápido demais, falha em amarrar a contento tudo o que a trama apresentou.” é comentário de quem não terminou de ler o que Carroll escreveu. Quer algo que amarre de maneira mais tosca, quer algo que acabe mais com o nonsense das obras do que aquela Alicezinha acordando? Poupem-me.


#####


P.S.: Apesar da Brenda não ter gostado do filme, concordo quando ela diz que o nome alternativo para o Alice deveria ser “Helena Bonham Carter e Johnny Depp em: Coisas vergonhosas que fazemos pelo marido e amigo.”. Só acrescento como extra que próprio para se passar vergonha é o material original do Carroll.

4 comentários:

  1. Eu realmente, nem li o livro nem me interessei pelo filme. Nunca me instigou a idéia do País das Maravilhas. No entanto eu acho que as adaptações para o cinema sempre são conturbadas, os fãs da mídia antiga sempre acham que falta algo ou que algo está diferente. No entanto, eu acho que no fundo isso provavelmente vem do fato das pessoas terem mistificado o enredo contada através do tipo de mídia que eles estão acostumados, sejam elas livros, quadrinhos, animação, etc.

    ResponderExcluir
  2. Tu deve ser uma das únicas pessoas do mundo que assistiu o mesmo filme que eu. Quem reclamou dos exageros da película será que, antes de ir ao cinema, não percebeu que ia assistir justamente Tim Burton filmando Lewis Carrol? Como não esperar exageros numa mistura destas?

    ResponderExcluir
  3. Gostar ou não de Alice depende de cada pessoa e do seu tipo de filme favorito. Pra mim, que além de crescer ouvindo essa história e ter tido os livros de Carroll na cabeceira da minha cama até a pre adolescencia, foi simplesmente magnifico. Exageros? Não ví nenhum, o filme tras magia e imaginação. É como ver Harry Poter e esperar que o bruxinho não vôe. Se a pessoa que foi ver Alice gosta de American Pae ou As brasileirinhas, além de criticar por não conhecer , peca em escolher esse tipo de filme.
    Eu amei, quero mais!

    ResponderExcluir
  4. Olá Ulisses!
    Finalmente, após quase um ano depois eu vi o filme... E gostei dele!
    É legal ver no filme as várias referências aos livros. E a parte que Johnny Deep recita parte do poema do Jabberwocky, eu acho ela ótima.

    Mas acho que o mais estranho foi lembrar do ótimo título desse post: "Alice no país dos não-leitores"; pensei nele depois de assistir o filme e lembrar o que as pessoas falavam dele na época, rs...

    []s

    ResponderExcluir

Site Meter