24 março, 2014

Presidenta ou presidente? Lição básica para não agir como um idiota

___Eu sei que seria bem mais confortável se a realidade fosse sempre do jeito que nos interessa, que seria muito mais bacana se nossos desafetos sempre errassem. No entanto, lamento dizer, o mundo não é assim. Lamento mais ainda dizer que existe até quem trabalhe na grande mídia e não saiba disso. 


___Arnaldo Jabor, por exemplo, trabalha como comentarista político na CBN. Chega a ser folclórico ver como ele consegue em uma crônica sobre o Putin e as Olimpíadas de Inverno atacar o governo brasileiro e se mostrar homofóbico. Praticamente um sanduíche especial em uma rede de fast food. Mas, não é por isso que eu estou escrevendo. Vim mostrar que o ódio do Jabor para com a Dilma o leva a ver erros até onde não existe. Ou, simplesmente, para mostrar a ignorância do cronista que quer chamar os outros de ignorantes. 
___Ouçam pelo menos os 20 primeiros segundos da crônica que Jabor fez no dia 13/III/2014: “Qual a diferença da Venezuela para a Ucrânia?”.


___Por mais que seja divertido – para quem é machista ou não gosta do PT – imaginar que a Dilma errou ao se alcunhar de presidenta, na verdade ela acertou. A flexão feminina da palavra presidente existe e Jabor poderia ter descoberto isso conferindo no dicionário (tanto no Houaiss, quanto no Aurélio). Uma atitude simples que teria evitado o cronista de passar vergonha. 
___Antes que algum defensor do Jabor venha gritar NEOLOGISMO! na minha orelha, eu também recomendaria uma olhada no Novo Diccionário da Língua Portuguesa, de Candido de Figueiredo, de 1899. O verbete presidenta já aparece por lá e, vale lembrar, as palavras que aparecem em um dicionário existiam antes da sua edição.* 
___Se citar todos esses dicionários não resolveu o problema, tenho mais uma citação do século XIX. Machado de Assis usou a palavra presidenta em seu Memórias Póstumas de Brás Cubas, livro de 1880. Sério mesmo. Pode conferir no capítulo LXXX. Será que o Jabor também vai dizer que o Machado escrevia errado “para agradar o povão que não sabe falar português direito”?


___Por fim, para terminar a lição básica para não agir como um idiota, vai uma receitinha que funciona muito bem: se a pessoa pede para ser chamada de determinada forma, respeite. Se a governante do país pede para ser chamada de presidenta, não seja mal-educado: use presidenta. Não “presidenta”, presidenta (sic), presidentA ou qualquer variação que demonstre a sua falta de traquejo com dicionários. Se uma pessoa trans se apresenta com um nome diferente do registrado em cartório quando do nascimento, use o nome que a pessoa trans escolheu. Se o seu colega de futebol disse para você não chamá-lo por determinado apelido, respeite. Pode apostar que, depois da quarta série, essa regrinha não falha. 
___Tanto que eu até chamo o Arnaldo Jabor de cineasta. Mesmo achando que as pornochanchadas que ele produziu não mereçam o nome de produção cinematográfica. 

__________
* Infelizmente, não consegui uma cópia virtual da edição de 1899. Entretanto, o pessoal do lindo Project Gutenberg digitalizou a edição de 1913, em que também aparece o verbete presidenta. 

2 comentários:

  1. isto esta batido, q tal comentar do corte de cabelo do ditador da Coréia do Norte. jw

    ResponderExcluir
  2. Jabor e idiota são sinônimos ou trata-se de neologismo global?

    ResponderExcluir

Site Meter