01 fevereiro, 2007

O buraco é mais em cima (parte II)

_____Ai, ai... ter dinheiro é foda. Você vive bem, tem carro que sempre funciona, tanque cheio, motorista, viaja de avião e, é bom ressaltar, nunca entra em um transporte público. Entretanto, se calha de entrar, não dá outra, acaba dando vexame.
_____Eu que não tenho muita grana (e acho que as pessoas deveriam utilizar o transporte privado com mais parcimônia) sou figura carimbada em ônibus e metrôs. Sendo assim, já cansei de ver alguns homens de terno e gravata tentando entrar pela porta de trás dos ônibus (aqui em São Paulo) – sinal claro de que não usam coletivos há uns bons anos. Ou, então, acharem que é só pagar o cobrador e passar pela roleta, sem esperar que o cobrador valide o pagamento com o cartão.
_____É engraçado ver as pessoas dando esses pequenos vexames nos transportes públicos. Mas, é compreensível. Estão desacostumadas, um tanto perdidas, mal sabem como agir. Uma gafe em uma situação atípica não é algo tão absurdo. Só que torna-se absurdo quando o infeliz a fazer a bobagem é o prefeito.
_____Sou a favor que todos tenham o direito de dizer o que quiserem, brincar quando querem... Mesmo assim, não acho nem um pouco apropriado contar uma piada sobre incêndios para a viúva do morto em uma cerimônia de cremação.
_____Bem... Dê uma olhada nos comentários um tanto fora de hora do perdido prefeito Gilberto Kassab ao passear de transporte público (o famigerado Fura-fila, atual Expresso Tiradentes) e tire suas próprias conclusões.


Será que foi o excesso de propagandas da cidade que desconcentrou o gênio aí?

_____

Texto relacionado: O buraco é mais em cima (parte I).

Um comentário:

  1. Oi Ulisses,

    Não ouvi o som, não deu, que pena.... mas imagino as merdes que o Kassab falou.

    Beijos

    ResponderExcluir

Site Meter