03 maio, 2007

O inferno de se ler em público

_____Ler é uma das minhas obrigações e também uma das minhas maiores diversões. Como professor de História eu, teoricamente, deveria ler o máximo possível e fico feliz de fazê-lo. Acho, inclusive, desprezíveis aqueles profissionais da área de Ciências Humanas que não lêem um bom tanto de livros (para falar a verdade, são poucos os professores que conheço que não acho desprezíveis em qualquer área que seja). Como uma pessoa desvinculada de minha profissão, leio por puro prazer. Para falar a verdade, quase por vício (se me trancarem em um banheiro sem nada o que ler, pego o vidro de xampu e começo a me esforçar para ler as miúdas letrinhas). Não que eu goste de tudo, é claro; troco muito bem um livro ruim por uma boa peça de teatro (troco até um livro mediano por uma boa peça...).
_____Por precisar e gostar de ler, acabo lendo vários livros ao mesmo tempo (um de cada vez, é claro), em diversos lugares: um que eu levo para a cama antes de dormir, o que leio virtualmente, o que eu sempre levo ao banheiro quando estou em casa, aquele que leio na sala, etc.. Diga-se de passagem, tenho alguns livros selecionados para ler em determinadas situações. Por exemplo, quase sempre carrego comigo dois livros quando saio de casa: um livro de bolso e outro maior.
_____O livro de bolso é escolhido exatamente pelo formato (o preço também costuma ajudar). Como ele é pequeno, fica fácil de carregar e, portanto, posso ler andando, enquanto espero o ônibus, quando estou de pé no metrô, em uma fila, etc.. Esse, vale dizer, é ótimo para se ler em público, pois consigo abstrair quase que completamente do ambiente à minha volta.
_____Meu problema é com o livro maior. É um inferno ler o livro maior em público. Enquanto o livro de bolso eu leio quase sempre em movimento ou em lugares pouco confortáveis (em que não costumam puxar papo), o maior eu pego para ler quando consigo algum lugar mais confortável para poder sentar e ler (pode ser banco de metrô, um sofá qualquer, uma praça). E é só eu sentar calmamente para ler que aparece alguém querendo puxar conversa, como se a pessoa fosse entender o livro só por conversar comigo naquele momento ou fosse me salvar da doença da leitura. Parece que eu leio com uma placa: “Venha falar comigo que eu dou dinheiro na hora!”.
_____Certa vez, comprei em um sebo uma edição das obras completas do Oscar Wilde, da editora Nova Aguilar. Quem gosta de livros deve conhecer a coleção de obras completas da Nova Aguilar: livros de capa dura, resistentes, papel bíblia (é esse o nome mesmo. É um papel bem fininho, que você vira a página sempre com medo de rasgar), traduções boas. Voltando ao assunto, comprei o livro e comecei a ler por aí, onde quer que eu pudesse sentar. Só que não era possível ler. Como o livro tinha um monte de páginas, capa dura, etc., etc., apareciam um monte de religiosos me perguntando se eu também sentia prazer em ler a Bíblia, qual era minha igreja, se eu também estava indo para o culto e coisas do tipo. O horror, o horror.
_____Atualmente, o livro “grande” que carrego comigo é o Um homem sem pátria, do Kurt Vonnegut (“Kurt está no céu agora.”), como eu já havia falado por aqui. O problema é que estou terminando e o próximo da lista é o Declínio e queda do Império Romano, do Edward Gibbon. Sabem qual é o problema? O problema é que o livro de Gibbon é razoavelmente grosso (não a ponto de me perguntarem, novamente, se estou lendo a Bíblia*) e, acredite, parece que o número de chatos que aparecem para interromper e atrapalhar você é proporcional ao número de páginas. Vou passar os próximos meses, enquanto leio o livro, sendo interrompido pelos motivos clássicos e por pessoas que resolvem perguntar coisas inteligentíssimas como “Você está mesmo lendo esse livro enorme?” e “Nossa! Posso ver quantas páginas tem?”.
_____Deve ser por isso que a promoção do livro no Submarino é a seguinte: Declínio e Queda do Império Romano - EDWARD GIBBON + Whisky Red Label - Johnnie Walker. Pode conferir.

Promoção do Submarino

__________
* Vale dizer, nada contra ler a Bíblia. É uma literatura para lá de interessante.

Um comentário:

  1. quando eu leio a biblia, eh sempre assim.

    http://liberallibertariolibertino.blogspot.com/2005/01/priso-vergonha-parte-ii-de-iveu-em.html

    ResponderExcluir

Site Meter