13 fevereiro, 2010

Quero ser Holden Caulfield

___Adoro indicações de livros. Adoro mesmo, no duro. Só que os livros têm de ser bons de verdade, não podem ser algum tipo de porcaria qualquer. Quando aparece alguém indicando o último best seller da temporada – e sempre aparece – eu olho com desconfiança.
___Quando não foi algo escrito ontem, quando é um livro que o tempo já calejou um pouco, quando é uma droga de um clássico, eu levo mais a sério a indicação, fico com mais vontade de ler. E quando aparecem outras pessoas indicando o maldito clássico e eu ainda não fui atrás de arrumar o livro para ler, fico um bocado deprimido. Sabe, é um troço que me chateia mesmo, por muito tempo, até que eu consiga o livro para dar uma lida. Foi esse o caso com O apanhador no campo de centeio.
___Sempre vi citarem o Apanhador. No duro, já tinha cansado de ouvir elogios e eu nunca conseguia a oportunidade de lê-lo. Não que fosse impossível nem nada, é que sempre acabava tendo algo no caminho e eu não arrumava o livro. Agora teve a porcaria da morte do Salinger e isso deu um impulso a mais para que eu arrumasse o livro.
___Minha nossa, que grande porcaria! Estou no capítulo 14 e tô achando insuportável. É só um adolescente chato que fica reclamando o tempo todo. No duro, é o tipo de coisa que deixa qualquer um deprimido. O cara é só um inútil que não faz mais nada além de se lamentar. Tenho sérias dúvidas sobre como é que as pessoas conseguem se identificar tanto com esse chato do Holden Caulfield.

#####


Nota pré-comentários:


___Claro que eu sei que, nas linhas e entrelinhas do livro, existem muitas reflexões interessantes; não estou dizendo que o que foi dito até o capitulo 14 não tem sua validade. Estou também ciente que o coloquialismo, as reclamações, as repetições, as idiotices, os conflitos, os exageros do adolescente mala que narra o livro fazem parte do estilo que Salinger escolheu para escrever a obra. Meu ponto é, simplesmente, que a leitura fica chata para diabo por causa desse narrador.

12 comentários:

  1. Eu já li e lembro de ter gostado do livro. Mas como eu ainda era adolescente na época, prefiro não ler novamente e manter esta lembrança comigo.

    ResponderExcluir
  2. Deve ser uma dessas leituras pra certas idades. Estou lendo agora "Livro do Desassossego", do Fernando Pessoa. Tem várias coisas interessantes e estou me acabando de tanto copiar citações. Mas tenho certeza que teria gostado muito mais dele, teria me sentido a própria autora do livro, se tivesse lido durante a adolescência. Hoje vejo mais em perspectiva...

    ResponderExcluir
  3. Eu realmente não li, e pretendo não ler agora que tá todo mundo lendo. Eu não sei, eu tenho minhas antipatias pelos livros da modinha! Sabe aquele que as pessoas perguntam se você já leu e se você diz que não, elas te censuram como se fosse obrigatório aquela leitura?

    ResponderExcluir
  4. Ulisses não consegui ler esse livro ... não sei se na época era adolescente, enfim larguei e nunca mais voltei.

    Estou lendo A consciência de Zeno...- penso que você, se não leu ainda, iria gostar ;-) )

    http://biblioteca.folha.com.br/1/12/

    Beijos, muitos!

    ResponderExcluir
  5. Tiago R. Lima "Mad Max" Andrade16 fevereiro, 2010 21:47

    Li o Apanhador quando estava no colégio, e sinceramente não tenho vontade de relê-lo...medo da regra dos 15 anos, de desfazer a magia do primeiro contato.

    ResponderExcluir
  6. Carlos Ruiz Zafón: modinha mas é extremamente interessante, dinâmico e gostoso de ler. Você vai gostar!

    ResponderExcluir
  7. tu tá reclamando que o livro é a mó chato e ta tentando falar igual ao proprio Holden, no duro. um verdadeiro feixe de contradiçoes vc. tsc tsc tsc.

    ResponderExcluir
  8. Nada de contradição... é só uma pequena brincadeira literária, para mostrar o qto é chato. Pela sua reação, parece q funcionou. ;-)

    ResponderExcluir
  9. Nãi li o livro, tô curioso pra ler só porque o nome Holden é citado numa das melhores músicas da melhor banda nacional, Dance Of Days. Mas pelos comentários, a idéia desse livro se encaixa perfeitamente com os Emos, Korn e algumas músicas do Dance Of Days.

    ResponderExcluir
  10. Cara, é meu livro favorito, no duro mesmo.

    ResponderExcluir
  11. Normal. Cada um tem seu gosto. Sozinho, vc não está. ;-)

    ResponderExcluir
  12. Amo o livro. Holden Caulfield é igualzinho a um monte de adolescentes que conheço. Apesar de o livro ter sido publicado em 1951, os adolescentes continuam com as mesmas dúvidas, inseguranças e mudanças de temperamento daquela época. Fico feliz pelo Salinger ter registrado isso.

    ResponderExcluir

Site Meter