23 agosto, 2010

Apoiando a própria tortura: comentários (ou apoios)

___Em 2008, Alex Castro começou a publicar em seu blog algumas reflexões sobre racismo. Os textos, como de costume, eram ótimos, porém, por mais interessantes que fossem as ideias, por mais fortes que fossem os argumentos, nada comprovava mais as teses defendidas pelo Alex do que os comentários embebidos de preconceitos dos leitores.
___Na semana passada, eu publiquei um texto, comentando a atitude bacana de umas alunas que, pouco se lixando para as convenções, foram a uma festa de formatura de tênis, apesar do vestido de noite. A foto comprovando um pouco do fato foi colocada depois que eu recheei a postagem com uma exposição simples do fato de que as mulheres foram maltratadas historicamente e que ainda o são – e que as roupas que usam servem como um ótimo exemplo. Para deixar todo o terreno pronto para a foto, citei como última mazela o uso dos sapatos de festa que castigam os pés das mulheres.
___Tudo isso, lembrando que muitas vezes as próprias mulheres apóiam tal autoflagelação, infligem a si próprias esses tormentos como se fossem naturais. O título do texto, inclusive, é "Apoiando a própria tortura".
___Como que para comprovar meus argumentos, todas as mulheres que comentaram o texto – em maior ou menor grau –, agiram exatamente da maneira que eu descrevi: apoiaram o próprio martírio.
___rayssa gon, blogueira de palavras fortes, começou bem, mostrando que pouco usa esse tipo de calçado: "objetos de tortura? vcs não fazem ideia do que é tentar colocar um par de sapatos de ‘só’ 5 centímetros sendo que vc passou a vida inteira andando de tenis. é lastimavel.". Porém, no final, acaba fazendo coro ao castigo imposto socialmente às mulheres: "e , bem. ninguem te leva a serio quando vc esta de all star. :S".
___A leitora Van começa tecendo louvores ao meu trabalho, elogiando minhas reflexões, “Mais uma vez apoiando a sua opinião! rs. / Outro ótimo texto! / Concordo do início ao fim.”. Desgraçadamente, logo em seguida ela acrescenta uma conjunção adversativa, “Mas infelizmente no próximo evento que eu for ainda terei que enfrentar a tortura de ‘não repetir meu vestido e de torturar meus pés’ (me divertindo bem menos que suas alunas! rs.) / Mas esse é o castigo.”*.
___A última comentarista do sexo feminino, Silvania, provou-se mais convencida ainda pelas lições machistas. Levemente agressiva, ela diz, “É muito bom mesmo estar confortável em um tênis para dançar a noite inteira SOZINHA. Pergunto aos homens, se interessaria mais uma muher de tênis em uma festa ou uma mulher de salto? Nem precisa responder né?!”. Pobrezinha, ela realmente acredita nisso. Não consigo imaginar um homem de verdade que fosse recusar uma boa companhia feminina pelo fato de ela estar descalça, usando tênis, salto Luís XV ou coturno. Podem perguntar à vontade.
___Digo mais, alguém que não leve à sério uma mulher porque ela não está usando algo que lhe cause dor, não merece nenhuma companhia feminina. Enquanto vocês não deixarem de acreditar que esses padrões estúpidos são imutáveis leis divinas, meninas, vocês que sofrerão. Ou esqueceram que, há algum tempo, não se levava à sério mulheres de calça ou, mais atrás ainda, as coitadas que não podiam usar espartilho. Acordem.


Espartilho exagerado


__________
* Grifo meu.

9 comentários:

  1. é.. bem, eu disse q não não se é levada (o) a serio quando se esta usando all star.

    não disse que eu deixava de usar tenis ou que (pior) eu quero ser levada a serio por gente que se prende a calçados.
    eu entendo e reconheço existencia da tortura, mas não acho que me submeto a ela ou mesmo que a interiorizo.

    se bem que, usar ou não sapatos de salto não significa em absoluto uma posição pró ou anti machista da sua parte. é só ver a quizumba que sempre dá no lingerie day.

    ResponderExcluir
  2. Q bom... Mais um motivo para eu gostar de como você pensa. :-)

    ResponderExcluir
  3. Ao ler seu post lembrei disso aqui. Tinha visto faz um tempo =)

    http://hemera-nyx.deviantart.com/art/Preferencial-169176919

    ResponderExcluir
  4. De certo modo, Ulisses, voce tem razao: Parece que muitas mulheres ainda usam porque se convenceram de algo que nao e necessariamente real, a necessidade de "ser levada a serio" ou "ser considerada bonita" pelo fato de se auto-flagelar com sapatos. Com o texto passado eu concordo plenamente, mas acho ainda que ha outro lado. Por exemplo, a questao de "ser levada a serio" pode nao ser comum entre amigos, potenciais namorados e bailes de formatura. Mas no trabalho, conheco muitas mulheres que precisam usar sapatos quando ha eventos especiais ou pessoas importantes a atender por regra da empresa. Nesse sentido, o "ser levada a serio" deixa de ser algo so psicologico e passa a ter fundamentos na vida real da sociedade. Em outras palavras, o ser humano mudou muito, mas nem tanto assim. Finalmente, ha tambem quem goste de usar esses sapatos. Isso acho legitimo, ja que tem gente que gosta de fazer piercing sabe la onde =P

    abrax

    RF

    ResponderExcluir
  5. Ahahah! Gostei bastante do post e acho que este devia ser transformado em folhetim e distribuídos para toda a mulherada dos 5 aos 150 anos.

    Eu, como mulher, não posso concordar mais no fato de que a grande maioria dos saltos é desconfortável sim e que homens levam mulheres sem salto menos à sério não merecem companhia do sexo oposto (aliás, nem do próprio sexo. merece sim passar uma semana inteirinha com um escarpin colado aos pés).

    Você citou também o espartilho, e falou da época em que mulheres de calça não eram levadas à sério. Uma coisa interessante que existe na cultura atual é a adição do fetichismo a alguns acessórios realmente tortuosos, como o espartilho, o salto e o sutiã. Beleza, nós mulheres (pelo menos a parte que se considera "com noçao") usa sutiã todos os dias, e em boa parte sutiã com arame) (já vi quem passou pela situação de ficar com dificuldade pra respirar porque prendeu o sutiã demais). . Céus, se não acertar no modelo e no tamanho, como aquilo machuca! Ainda assim, usamos o sutiã e ficamos desconfortáveis ao ver na rua alguma mulher obviamente sem sutiã (até embarassada por tal exposição da mesma), sem contar a conotação sexual que o apetrecho recebeu, por levantar os seios e até fazê-los parecer maior, transformando-os em coisas que eles não são (e fazendo muita mulher se sentir infeliz por ter pouco peito). E também na parte da saia (em relação a calça), a saia é considerada mais "feminina", sempre, e razoavelmente mais sexy também, pelo desenho e pela exposição das pernocas. Claro, esses são os pontos socio-culturais, mas, realmente, pessoas que se colocam em x situações por pressão social são bobas e não respeitam a si mesmas. Aliás, tem um monte de moçoilas que passeiam de salto por tais motivos e nem mesmo conseguem andar direito (é vergonhoso, as pessoas andam feito patas). Vergonhoso de novo.

    Depois as bonitonas vêm querendo rebater comentários sobre "machismo" e falar que temos muita abertura no mundo (tudo bem que existe o preconceito oposto, de homens que usam acessórios primariamente considerados das mulheres, mas é).

    De qualquer forma, se eu ligasse para o que as pessoas acham, não andaria como eu ando, nem falaria as coisas que eu falo (ou me vestiria do jeito que me visto, para o martírio da minha mãe). E acho que mais pessoas deveriam ser assim; não serem totalmente inértes ao mundo que existe as cercando e ainda defenderem seu conforto (ou suas ideias, num "plano mais intelectual"— o que é muito mais válido que defender que roupas devem usar. Se querem usar alguma coisa, vão lá e usem, não fiquem debatendo!)



    perdoe o post bagunçado e cheio de ideias malucas, não consegui formular um bom texto!

    ResponderExcluir
  6. Adoro suas ideias! E me identifico muito com seu pensamento. Tento sempre esmiuçar as coisas. Por isso, no aguardo de um pronunciamento sobre a depilação, algo que venho trabalhando pra se torcar igualmente execrável do universo feminino. Mas tá difícil!

    ResponderExcluir
  7. Quem usa All Star não é levado a sério?
    Engraçado...eu faço doutorado nos Estados Unidos, na área de agricultura, e eu e o professor do laboratório ao lado estávamos de All Star hoje. Sinceramente, não vejo porque não ser respeitado se você usa tênis, seja ele qual for. Terça fui no aniversário de um amigo de all star, não estava com vontade de colocar salto. E se não estou com vontade, saio com meu namorado de tênis, que não se incomoda nem um pouco.
    Eu uso salto quando quero, assim como havaianas ou all star. Não vejo como tortura qualquer opção e sim uma escolha.

    PS: adoro ler seu blog! parabéns por ser um professor tão animado!!!

    ResponderExcluir
  8. Psor! Que texto do caralho! *----*
    Vou falar pra minha mãe ler, que sabe ela para de me obrigar a usar salto! kkkkk =D

    **obs.: comentários de pessoas cults e o meu, de uma estudante de nada hehehe! =]

    ResponderExcluir
  9. Eu concordo plenamente com vc, Otávio. A depilação é tão execrável qto a utilização de saltos e afins.

    E, já que vc levantou essa questão, acredito q vc vai gostar de dar uma lida nesse texto do Alex Castro: http://www.interney.net/blogs/lll/2009/04/15/os_cheiros_fora_da_lei/

    ResponderExcluir

Site Meter