10 agosto, 2010

Meu precioso...

___Outro dia, em uma mesa de bar, com antigos amigos de escola, relembrei de uma festa. Entre risadas e pequenas histórias, alguém falou, "Qual era mesmo o nome daquela menina com quem você ficou no fim da festa, Fernando?". O tal Fernando e duas moças que estavam na ponta da mesa responderam em uníssono:
___– Lídia!
___Na hora, a namorada do Fernando, que até então apenas ouvia as histórias e acompanhava os coros de risadas, fechou a cara e lhe cutucou com o cotovelo. Como não tenho nenhuma noção (e tenho muita curiosidade), perguntei: "O que foi? Você conheceu a Lídia?".
___– Não. Nunca tinha ouvido falar. – O que não tinha nada de anormal. Não fazia nem seis meses que eles estavam namorando e o Fernando só havia ficado com a Lídia uma vez, há mais de 10 anos. Um pouco confuso com a reação da moça, continuei.
___– Por que, então, você ficou brava? Você nem sabe quem ela foi.
___– Oras, porque eu não gosto do fato de que o Fezinho chegou a desejar qualquer outra mulher que não tenha sido eu durante a vida dele.
___Mais confuso ainda, perguntei:
___– Mas, vocês não se conheceram apenas no ano passado?
___– Sim.
___– E você queria que ele tivesse passado a vida toda sem desejar ninguém até conhecer você?
___– Claro! – respondeu a moça, com um enorme sorriso, segurando com mais firmeza o braço do namorado.
___– E você realmente gosta do Fernando?
___– Sim. Eu o amo muito.
___– Não parece.


###


___Contei uma versão da história em que a namorada possessiva não queria que o namorado tivesse desejado nenhuma outra mulher. Sem nenhum prejuízo, eu poderia relatar histórias que presenciei de namorados que preferiam que a namorada não tivesse chegado perto de nenhum outro homem. O gênero pouco importa.
___Invariavelmente, os casais justificam tal atitude dizendo que fazem isso por amar o outro. Para mim, parece exatamente o contrário. Por que alguém que ama outra pessoa iria preferir que o ser amado nunca na vida tivesse se apaixonado, nunca tivesse tido nenhuma experiência sexual? Esses pares apaixonados professam que preferiam que o “amor da vida deles” tivesse, simplesmente, ficado em uma torre alta, guardado por um dragão, à espera do salvador encantado?


Príncipe Encantado


___Que horrível! É isso que as pessoas desejam a quem elas amam?
___Se eu amo alguém, prefiro que a pessoa tenha tido a melhor vida possível, mesmo antes que eu aparecesse. Espero que a pessoa tenha amado, desejado, trepado, chicoteado, comido, lambido, engolido e cuspido. Mordido e assoprado. Espero mesmo que os amores da minha vida tenham sido felizes sempre, como quero que sejam felizes comigo. Parece tão simples. Dá para amar alguém – de verdade – de outra maneira?


#####


P.S.: Aproveitando o assunto, creio que vale a indicação do livro A felicidade, desesperadamente, do filósofo André Comte-Sponville.
P.P.S.: Eu também acho que a pessoa que eu amo deve ter uma vida plena de desejos, experiências e felicidades depois de me conhecer e não  precisa ser apenas comigo. Mas, como isso talvez seja demais para a cabeça de algumas pessoas, por hoje, paro a reflexão por aqui.

12 comentários:

  1. Talvez chocasse ainda mais se você dissesse que, como os relacionamentos nem sempre são eternos, alguém deseje que o amado/amada seja feliz com outros no futuro.

    ResponderExcluir
  2. Olá Ulisses!
    Ótimo post! E não é que isso acaba sendo uma cena comum nos botecos da vida? Não foi só uma vez que ao ir embora fui "cobrado" por lembrar de uma aventura de um colega na mesa...

    [ ]'s!

    ResponderExcluir
  3. Fala sério!
    Pra mim é muito importante num relacionamento a parceria,e a amizade. Poder rir juntos e nao precisar omitir as experiencias passadas,admirar o outro

    ResponderExcluir
  4. Então,

    meu amor é imaturo. A moça da mesa talvez não sabia muito bem o contexto, mas, eu me sentiria desconfortável diante dessa situação também (não me orgulho disso e se pudesse aprender a ser de outra forma, eu seria - se puder ajudar agradeço).

    Entretanto, acredito que sua posição seja sensata (a de que a pessoa deve ter experiências mesmo após de tê-lo conhecido).

    ResponderExcluir
  5. Indo de encontro com a sua resposta Priscila que realmente possa ser imaturidade da pessoa agir assim pois também me sentiria desconfortável até porque o pasado pouco importa nesse contexto, esse post fez com que me abrangesse a mente para uma outra forma de vê as coisas rs' .. Espero ter uma outra concepção a partir d agora!

    ResponderExcluir
  6. FERNANDA B.RODRIGUES11 agosto, 2010 13:46

    ADOREI O SEU COMENTÁRIO MAURICIO

    ResponderExcluir
  7. É que de repente ela pode ter sentido-se comparada a uma ficante de um só dia, todos sabiam o nome da tal que havia sido por uma única noite e que tenha sido coisa ridícula de ter acontecido.

    ResponderExcluir
  8. Historiador, escreveste um conto com um velho problema... ainda ocorre isso?, pensei que não... (brincadeira); já pensei muito sobre isso de sentir ciúmes do passado do Amor, é estranho mesmo, ... hummm, agora está me ocorrendo uma ideia para escrever... *obrigada.
    *se escrever envio o texto para verificares se estou dentro da história contemporânea ou medieval, pode ser?,
    (*olhe, percebi que curtes o Apocalipse, tenho uma pastinha maravilhosas no youtube com o título APOCALIPSE's History, me dei ao trabalho de colocar os vídeos na ordem correta, assim eles vão rodando na sequência, fica o convite http://www.youtube.com/user/sandrafasolo#p/p

    ResponderExcluir
  9. É uma pena que algumas (muitas) pessoas não tenham essa visão simples e sensata. Aplaudo o texto.

    ResponderExcluir
  10. Hum... o contraditório está explicito para os que se entendem, né?!

    ResponderExcluir
  11. [...] casamento Jul 5th, 2011 by Ulisses Adirt. Share___Existe gente que me acha estranho. Outros que não gostam das minhas opiniões. Alguns não me entendem. E tem até quem não acredita em mim. Ainda bem a minha noiva aprecia a [...]

    ResponderExcluir

Site Meter