12 setembro, 2010

Perdendo o voto

___Como eleitor, tento agir da maneira que eu considero correta (ou sou apenas um cara chato, caso vocês prefiram). Para escolher um político, pesquiso sobre o seu passado, tento ver seus horários eleitorais e leio suas propostas. Se eleito, acompanho sua atuação e, quando o político faz algo que me incomoda ou não se declara publicamente sobre uma questão que me interessa, escrevo e-mails questionando.
___Todas as vezes que votei em Ivan Valente para deputado federal, ele foi eleito (tanto pelo PT, quanto pelo PSOL). Tenho de dizer, na maior parte do tempo, meu voto muito me orgulhou; Valente fez mandatos admiráveis. Infelizmente, não apreciei algumas atitudes do Deputado neste último ano.
___Para começar, o apoio fortíssimo de Ivan Valente à ingênua Lei “Ficha Limpa” foi uma bela pisada no tomate. Eu não pude acreditar que um político experiente, teoricamente bom conhecedor de como a política funciona, acabou por cair na demagogia, no moralismo vazio e autoritário da “Ficha Limpa”.
___Mais triste ainda, quando a Lei “Ficha Limpa” acabou por trazer os péssimos resultados que qualquer bom conhecedor de política esperava, Valente não se pronunciou. Ou melhor, ignorando os resultados deletérios da Lei, Valente incorporou o discurso moralizante da “Ficha Limpa” em sua campanha, como se isso fosse uma solução mágica para os problemas políticos do país.
___Por fim, todas as minhas tentativas de entrar em contato com o Deputado – seja por e-mail, seja pelo próprio site –, têm sido ignoradas solenemente desde o início do ano. Se eu não posso questionar nem o político que eu ajudei a eleger, não vejo motivo para continuar votando nele (ainda mais quando, em campanha, Valente diz que “o eleitor... pode cobrar e fiscalizar o mandato”).
___Não que Ivan Valente tenha se besuntado de lama para depois mergulhar no esterco – como fez Fernando Gabeira (outro político que eu admirava) –, só que suas atitudes deste ano foram o bastante para que eu comece a procurar outro candidato a deputado. Torço para que ele melhore, mas, para esta eleição, acho que é tarde demais.


7 comentários:

  1. besuntado de lama para depois mergulhar no esterco


    essa frase aí eu vou usar.

    ResponderExcluir
  2. Puta, muito louco... quer dizer, você deixa de votar num cara que não é corrupto (o que é o central do ficha limpa e na política que a gente vive hoje) porque ele, na sua opinião, tem um discurso "moralizante".... hahahaha. Vai entender, né?
    Tem de tudo nesse mundo....

    ResponderExcluir
  3. Assessoria do mandato Ivan Valente30 setembro, 2010 07:36

    Caro Ulisses,
    Só agora tomamos conhecimento de seu texto pelo twitter do deputado Ivan Valente, que nos pediu para verificar se alguma mensagem sua havia ficado sem retorno do mandato. Constatamos que deve ter havido algum problema de comunicação, porque, buscando pelo seu nome, não encontramos nenhuma mensagem (desde o início do ano) em nosso email ou site. A prática do mandato é responder a todas as mensagens que recebemos. Pedimos então que envie suas questões para que o deputado Ivan Valente possa respondê-las, incluindo suas críticas ao projeto Ficha Limpa.
    Atenciosamente,
    Bia Barbosa, assessora parlamentar do mandato Ivan Valente

    ResponderExcluir
  4. Na verdade, Carol, acho que você não entendeu o texto. Não foi nada disso que eu falei. Tente reler com calma e clicar nos links que talvez você entenda.

    ResponderExcluir
  5. Como disse em meu texto (http://incautosdoontem.opsblog.org/2010/09/12/perdendo-o-voto/), aprecio bastante a atuação do deputado Ivan Valente. Normalmente, sou completamente a favor de suas lutas e das bandeiras que levanta, porém esse não foi o caso da defesa do “Ficha Limpa”. Claro, o deputado em quem eu votei não é obrigado a concordar com tudo o que penso, mas eu estava incomodado por não ter recebido retorno quando pedi uma retratação (por exemplo, aqui: http://www.ivanvalente.com.br/?page_id=86 – Mauricio Trida, 5 de agosto de 2010, às 16h). Fico, portanto, contente com o contato agora.

    Considero o “Ficha Limpa” um projeto completamente demagógico, de uma ingenuidade ímpar. Era óbvio que o “Ficha Limpa” poderia ser utilizado – como de fato foi – por políticos fortes em regiões em que a justiça é fraca (caso da família Sarney, que conseguiu livrar-se de adversários). Ou mesmo, acabar atrapalhando candidaturas legítimas, como no caso de Aldo Santos. Mais detalhes sobre as minhas ressalvas sobre o “Ficha Limpa” podem ser encontrados nesses dois textos do Idelber Avelar: http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/o-ficha-limpa-por-janine-e-idelber e http://www.idelberavelar.com/archives/2010/08/a_estupefacao_dos_vestais_sobre_ficha_limpa_1.php

    Gostaria mesmo de saber a opinião do deputado Ivan Valente sobre um projeto pelo qual ele tanto lutou e que acabou por trazer resultados tão ruins.

    ResponderExcluir
  6. Caro Maurício,

    O Ficha Limpa nasceu de um projeto de iniciativa popular que durante anos foi debatido pela sociedade brasileira, nos mais diferentes espaços. Quando chegou à Câmara dos Deputados, encontrou resistência sobretudo de setores políticos que tinham em seus quadros pessoas condenadas por corrupção e dano ao erário público. Encontrou resistência também de muitos que, historicamente, vinham renunciando seguidas vezes a seus mandatos para não serem cassados por flagrantes violações das leis que regem a atividade política. Nossa avaliação inicial do texto do projeto constatou uma série de problemas que, ao longo do processo de tramitação no Congresso, buscamos corrigir. Foi o caso, por exemplo, da questão da condenação em primeira instância, que conseguimos alterar para a condenação por órgão colegiado. O ideal, sabemos, seria considerar a condenação em trânsito julgado. Afinal, nosso mandato sempre atuou e combateu a criminalização dos movimentos sociais, tendo um compromisso histórico no apoio às lutas populares. Apesar deste problema, não entendemos que o caso de jogar todo o projeto fora.

    Também vejo de uma forma diferente sua avaliação de que o Ficha Limpa é completamente demagógico e só trouxe coisas ruins. Se por um lado vemos candidatos que sabidamente rasgaram a ética na atuação política podendo concorrer neste pleito, por outro vemos figuras também históricas no mundo da corrupção política sendo impedidas de concorrer. Os casos são inúmeros. Para nós, do PSOL, barrar esses nomes foram conquistas importantes, ainda que um conjunto menos numeroso e significativo de candidatos tenham, por distorções da interpretação da lei, ficado de fora deste processo eleitoral – e aqui em SP, como você sabe, fomos diretamente atingidos por isso com a impugnação da candidatura do nosso companheiro Aldo Santos.

    Também não vemos o Ficha Limpa apenas como um projeto de cunho moralizante. Achamos que o projeto, mesmo com esses problemas, foi um passo importante para chegarmos à Reforma Política pela qual tanto lutamos.

    Muitos partidos saíram em defesa do Ficha Limpa, mas o PSOL foi dos poucos que nunca fez este debate desvinculado da necessária Reforma Política, da urgência da aprovação do financiamento público de campanha, do estabelecimento de um teto de campanha, de acabarmos com a ingerência do poder econômico no processo eleitoral. Todas as nossas manifestações, elencadas inclusive por você, vão exatamente neste sentido. Deixo aqui a sugestão de mais uma: http://www.youtube.com/watch?v=dAFJhYefkRo

    Ficar, portanto, no Ficha Limpa e não avançar para as mudanças estruturais que nosso sistema político requer é uma limitação contra a qual o PSOL lutará permanentemente, em nome da nossa coerência política.

    Um grande abraço,
    Ivan Valente

    ResponderExcluir
  7. [...] ___Para as eleições deste ano, infelizmente, eu tive muito trabalho, já que havia perdido meu candidato preferido a deputado federal, o Ivan Valente – como relatei aqui. [...]

    ResponderExcluir

Site Meter