27 novembro, 2010

Nunca um gentleman

___É tão interessante estar atento a algo. Como vocês bem sabem, ando com mancadas de atores à cabeça. Por isso mesmo, sorri em demasia para um trechinho literário que, talvez, em outro momento eu desse pouca atenção.
___Eu estava lendo A volta do parafuso, de Henry James, quando, no quinto capítulo, a tutora começa a descrever para outra personagem, a Sra. Grose, o homem que ela havia acabado de ver. Após uma breve descrição do rosto do homem, a tutora termina dizendo “Ele me dá a impressão de se parecer com um ator.”, ao que se segue o seguinte:




___– Um ator!
___Era impossível comparar qualquer imagem com a de um ator para a Sra. Grose naquele momento.
___– Nunca vi nenhum ator, mas é assim que os imagino. Ele é alto, elegante, ereto, mas nunca – não, nunca! – um cavalheiro.*



___Sei que a palavra cavalheiro/gentleman tem outras mil acepções, mas, no momento, irritado que estou com os atores do mundo, esse pequeno efeito de ambiguidade me agrada.


__________
* No original:

“He gives me a sort of sense of looking like an actor.”
“An actor!” It was impossible to resemble one less, at least, than Mrs. Grose at that moment.

“I've never seen one, but so I suppose them. He's tall, active, erect,” I continued, “but never – no, never! – a gentleman.”


Um comentário:

  1. [...] This post was mentioned on Twitter by Augusto, O pensador selvagem. O pensador selvagem said: OPS! > Blog Incautos do Ontem: Nunca um gentleman | http://bit.ly/hbuOXw [...]

    ResponderExcluir

Site Meter