28 maio, 2015

A incrível congregação de vapores

___Existe muita porcaria na internet. E, mais do que porcaria, existe muita gente reclamando que existe muita porcaria. Por isso mesmo, é fantástico apontar quantas coisas legais e bacanas vão surgindo pela internet a fora. No ano passado, no mundo dos blogs, foi iniciado, pela maravilhosa Camila Pavanelli, o importantíssimo Boletim da Falta d'Água em SP; entre os vídeos, eu descobri o ótimo Nerdologia, do  Atila Iamarino;  e, nos podcasts, em maio do ano passado, foi lançado o Promontório Estéril, feito pelo simpático Fabricio Soares. E é exatamente do Promontório que eu resolvi falar hoje. 
___Para anunciar o aniversário de um ano de vida do podcast, o Fabricio fez um episódio especial contando curiosidades sobre aniversários. Esse é um dos pontos mais bacanas do Promontório Estéril: mesmo sendo um podcast de biografias, quase qualquer tema tratado é cheio de curiosidades (ou dito de forma bem interessante, com boa trilha sonora e ótimos efeitos de sonoplastia). 
___No episódio de aniversário, aos 6’33”, Fabricio fala sobre o brigadeiro e conta que o doce “ganhou esse nome graças ao brigadeiro Eduardo Gomes, político que disputou a presidência, em 1945. As eleitoras e fãs criaram o doce, que foi nomeado com sua patente, para ganhar votos.”. Adoro essa curiosidade e sempre divirto meus alunos com ela. Em sala, conto, também, sobre o slogan que usaram durante a campanha de Eduardo Gomes: com o objetivo de arrecadar os votos femininos (já que aquela seria a primeira eleição presidencial com mulheres votando) se dizia “Vote no brigadeiro que, além de bonito, é solteiro.”.*
___Deixando minhas tergiversações de lado, escrevo esta postagem para indicar o podcast – que é uma das maravilhas produzidas pela internet hoje. E, claro, para parabenizar o Fabricio Soares e desejar que o Promontório Estéril dure por muitos outros anos. 

__________
* Não deixa de ser digno de nota o tratamento bizarro destinado às eleitoras. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Site Meter