30 outubro, 2017

O Erro e o Erro em A Morte e a Morte de Quincas Berro Dágua

___Peguei A Morte e a Morte de Quincas Berro Dágua, de Jorge Amado, na biblioteca da escola pública em que eu trabalho. Quando sentei no metrô para ler, percebi que o título e o restante da obra chamava a personagem principal de Quincas Berro Dágua e não “D’Água” ou “d’Água”. Seria um erro da edição? Trata-se de uma edição de 2008, parte do Programa Nacional Biblioteca da Escola;* uma edição da Companhia das Letras. Mesmo não gostando de colocar as notas de rodapé no rodapé, a Cia das Letras é uma editora séria e costuma fazer livros caros de boa qualidade. 

Capa de A morte e a morte de Quincas Berro Dágua, de Jorge Amado.

___Cheguei em casa e, como sou maluco e ficava pensando no apóstrofo que faltava, fui procurar outras edições. Para minha surpresa, descobri que as editoras não tinham um consenso. Cada uma grafava como bem entendia. 

Capa de A morte e a morte de Quincas Berro Dágua, de Jorge Amado. Capa de A morte e a morte de Quincas Berro Dágua, de Jorge Amado. Capa de A morte e a morte de Quincas Berro Dágua, de Jorge Amado. Capa de A morte e a morte de Quincas Berro Dágua, de Jorge Amado. Capa de A morte e a morte de Quincas Berro Dágua, de Jorge Amado. Capa de A morte e a morte de Quincas Berro Dágua, de Jorge Amado.

___Continuei a ler o livro e cheguei à conclusão que “dágua” combinava mais com a personagem principal do que a mais culta “d’água”. Quincas Berro Dágua, mesmo tendo passado boa parte da vida vivendo com pessoas bem vistas pela sociedade, pessoas que escreveriam “d’água”, termina seus dias entre doces vagabundos, bêbados, prostitutas e afins, grupo que, se soubesse escrever, provavelmente escreveria “dágua”. Diga-se de passagem, foi exatamente vivendo entre o populacho que Joaquim Soares da Cunha acabou ganhando o apelido de Quincas Berro Dágua. 
___Entretanto, eu achar que “dágua” combina mais não significa nada. A opinião das editoras também não é importante. O que importa é como autor quis chamar a sua personagem. 
___Pois bem, aqui está o fac-símile das duas primeiras páginas,** provavelmente datilografadas pelo próprio Jorge Amado. 

Fac-símile das duas primeiras páginas de A morte e a morte de Quincas Berro Dágua
Clique para ampliar. 

___Percebam que, no original, antes de passar pela mão de qualquer editor, estava escrito “Quincas Berro Dágua”. 

Detalhe do fac-símile das duas primeiras páginas de A morte e a morte de Quincas Berro Dágua, grifos (em vermelho) meus.

___Muito provavelmente foi escolha do autor, não um erro de digitação. Digo isso não apenas porque o nome da personagem se repete em outros trechos do fac-símile e, sim, porque o texto datilografado está todo corrigido à caneta. Falo quase sem nenhuma dúvida que o “Dágua” foi consciente. 
___Quando as editoras resolveram escrever “d’água” corrigiram a obra e modificaram o que o autor havia escolhido. Podem ter acabado com uma brincadeira literária que serve mais ainda para descrever a personalidade de Quincas Berro Dágua. As editoras que “corrigiram”, privaram seus leitores de uma literatisse do Jorge Amado e pioraram um pouco a obra. Acharam que estavam arrumando um erro e erraram.

__________
* O PNBE, que está ligado ao FNDE (Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação). 
** Presentes nas páginas 112 e 113 da edição da Cia das Letras.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Site Meter