26 dezembro, 2007

Sem talento para Papai Noel

John Lennon e Forrest Gump
_____Lembram da cartinha de natal que eu peguei nos correios para enviar para uma criança, como se eu fosse o Papai Noel?

_____Pois bem, meu plano inicial era deixá-la em uma agência dos correios na sexta-feira, dia 21. Comprei o presente, embrulhei, escrevi uma carta de resposta assinando Papai Noel e, então, fui procurar o endereço do garoto para colocar no envelope. Descobri que, como eu havia pegado a carta em um correio próximo à minha casa, o garoto também morava perto, bem perto. Resultado: resolvi entregar, eu mesmo, o presente. Quanta falta de noção...

_____Na manhã do dia 25, pego o presente e vou para a casa do garoto. Apesar de ser em uma rua próxima, eu nunca havia lá. Ao chegar à rua, procuro o número e encontro uma casa de portão baixo com a janela aberta. Achando que eu era um cara muito esperto e provando não ter nenhum bom senso, resolvi pular o portão e colocar o presente dentro da janela.

_____Pulei o portão e comecei a caminhar em direção a janela em uma pose digna da Pantera Cor-de-rosa tentando se esconder. Quando chego perto da janela, ouço uma voz de criança me perguntando o que eu estou fazendo. Olho para trás e vejo, na porta, um garoto com cara de choro.

_____Fiquei com uma cara de idiota digna de dar inveja no Forrest Gump e, com um sorriso amarelo, entreguei o presente para o garoto dizendo meio sem jeito: “É... bem... umcaradevermelhomemandouentregaristoaqui.”.

_____Com a boca aberta, o garoto segurou o pacote, entrou e fechou a porta.

_____Saí de lá com a certeza de que estraguei algumas ilusões natalinas... Ano que vem eu deixo o carteiro entregar.


P.S.: Aproveito para deixar meus agradecimentos aos atenciosos leitores Cíntia e Enio - as sugestões de vocês ajudaram bastante.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Site Meter