15 janeiro, 2008

A proximidade dos infiéis aumenta a santidade de Compostela

_____Fui convidado para organizar um curso sobre a História da peregrinação para uma associação de peregrinos e o texto abaixo é uma espécie de propaganda que será distribuída para atrair público para o evento. Espero que vocês apreciem.

*****
_____Livrar-se dos seus pecados, conseguir ascese espiritual, curar-se de uma doença e inúmeras outras graças poderiam ser alcançadas com uma peregrinação. A forte religiosidade católica existente na Europa durante a Idade Média (séculos V a XV) garantia que um incontável número de pessoas quisesse peregrinar para os mais diversos lugares em busca de quase qualquer coisa.

_____Quando se peregrinava, ia-se em busca do contato com o sagrado. Chegar perto ou tocar uma relíquia, por exemplo, poderia curar ou dar certa proteção ao peregrino, ele poderia ser tocado por aquela sacralidade. Porém, não era apenas nesse ponto que se obtinha contato com o sagrado. Toda a viagem aproximava o peregrino de uma ascese espiritual.

_____Sair do próprio conforto, correr riscos, a longa viagem, a dificuldade de se chegar, os percalços da rota, o esforço físico eram, na Europa medieval, pontos de máxima importância para a peregrinação (tanto que alguns santuários de chegada não permitiam o alojamento por mais de três dias). Quanto mais difícil, quanto mais perigoso, maior seria a penitência e, portanto, maior era a graça que poderia ser alcançada. Não é a toa que os grandes centros peregrinatórios medievais, Compostela e Jerusalém, localizavam-se na periferia da cristandade (difíceis de se chegar) e próximos aos muçulmanos (com um perigo maior).

*****

_____Interessada em retomar a Península Ibérica, sob domínio muçulmano, a Igreja Católica apoiava a ida de fiéis para a região. A Guerra da Reconquista (parte das Cruzadas Ocidentais), mesmo não tendo tanto destaque historiográfico quanto as cruzadas com destino a Jerusalém, estava também entre os interesses da Igreja. Em 1100, por exemplo, o papa Pascoal II proibiu que ibéricos católicos fossem para a Terra Santa e concedeu-lhes a mesma indulgência que os cruzados orientais recebiam.

_____Até o século IX, o interesse em Santiago era apenas local. Porém, no final do século X, após um breve domínio mouro à região (que levou até a destruição da basílica de Compostela), os cristãos retomaram o domínio do local. O afluxo de fiéis de todas as partes da Europa ocidental, incitados a peregrinarem para lá pelas ordens religiosas, auxiliou o fortalecimento da resistência cristã na região.

_____O fato de haver inimigos por perto, aumentava ainda mais o martírio que um peregrino sofria no caminho, aumentando, assim, o valor de se peregrinar para Compostela e, portanto, a possibilidade de obter a graça desejada. O interesse da Igreja em enviar fiéis para um local em que ainda havia infiéis garantia discursos que justificassem a peregrinação para o local. Resultado: o local tornou-se cada vez mais um importante centro peregrinatório e ganhou tal fama que, até mesmo muito depois da expulsão dos muçulmanos, muitos peregrinos ainda buscam o local.

*****
_____Obviamente, não foi apenas o caráter penitencial de manter-se próximo aos infiéis que auxiliou a fama do Caminho de Santiago. As construções de templos, o estabelecimento de hospedagens, os inúmeros relatos, a posição geográfica e o apoio das ordens religiosas também foram fatores importantes para o sucesso do Caminho. A diferença é que esses fatores costumam ser citados com muita freqüência e o caráter penitencial por vezes é esquecido.
_____O objetivo do curso “Um olhar sobre a peregrinação” é fazer uma pequena introdução ao tema e, em seguida, tentar trabalhar com algumas curiosidades, com questões mais específicas da História da peregrinação. Assim como foi feito no texto acima.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Site Meter