20 novembro, 2009

Cotas para brancos

___Primeira aula da manhã. Entro na sala e os alunos vão entrando comigo. O colégio é particular, a sala tem cerca de 40 alunos; apenas um é afrodescendente. Assim que fecho a porta, a aluna negra abre; faço sinal para ela entrar.
___Ela entra; seu cabelo está solto e um tanto armado. Um aluno metido a engraçadinho, fica em pé e fala:
___– Cabelo de preto é que nem bandido: ou tá armado, ou tá preso! – E, na sequência, vira para mim e completa: – Sem racismo, professor, foi só uma piada.
___Antes mesmo que eu pudesse falar algo, a aluna aproveitou o silêncio que ficou na sala e disse:
___– Piada de branco é assim mesmo: ou é racista, ou é sem graça.
___O garoto ficou vermelho e não falou mais nada.

___Acho que vou estabelecer uma cota para as piadas dos alunos brancos, coitados.


#####



P.S.: O melhor texto sobre o assunto é o “Menina vai para a guerra”, do blog Histórias de menina. Além dele, indico, claro, a série sobre racismo do meu amigo Alex Castro.
P.P.S.: Sobre cotas (para negros), deixo um quadrinho de Barry Deutsch.

4 comentários:

  1. Também ando escrevendo sobre isso lá no meu blog.

    Um amigo meu traduziu este quadrinho aí: http://pluralf.blogspot.com/2009/10/enfim-uma-palavra-clara-sobre.html

    Por acaso também cito o Alex Castro.

    Tem um estudo interessante citado também lá no Ágora com Dazibao no meio, sobre o acompanhamento que a imprensa tem dado ao tema.


    Muito bom texto...

    ResponderExcluir
  2. Isso pelo menos ainda é uma brincadeirinha.

    E as cotas para negros na universidade ? self-preconceito aquilo hein

    ResponderExcluir
  3. Aloha Ulisses!
    Mas nessa cota depiadas vai ter aquela dos novos preservativos em tamanhos diferentes?
    "Grande, médio e para brancos"?
    Aloha!

    ResponderExcluir
  4. Virou texto de coletânea para proposta de redação que eu elaborei.

    ResponderExcluir

Site Meter