20 abril, 2010

Sucesso através do espelho



___Não posso viver como a personagem da tirinha acima: o dia todo sofrendo no trabalho, para ser feliz apenas quando chego em casa. Trabalho com o que sempre sonhei e, mesmo sem ganhar dinheiro, sou feliz nos meus empregos.
___Por isso mesmo, acho tristíssimo quando vejo meus alunos, tão jovens, desistindo dos seus sonhos por medo do futuro.


___O tempo todo, todo mundo esfrega na cara deles o quanto se sustentar é difícil. Ser músico, professor, oceanógrafo, ator, cartunista, sociólogo, escritor, dançarino, sonhador é o caminho do fracasso, é como assinar um contrato com a derrota. Quase como em um slogan publicitário, ensinam para cada sonhador: venda-se ao Mercado e tenha uma boa vida.



___Não gosto de afirmar isso, mas, sem dúvida, é uma forma mais segura de encarar o futuro. Talvez triste, mas mais segura – pelo menos quando se fala de finanças.


#####


___O tempo todo, todo mundo esfrega na cara dos jovens o quanto se sustentar é difícil. Ser músico, professor, oceanógrafo, ator, cartunista, sociólogo, escritor, dançarino, sonhador é o caminho do fracasso, é como assinar um contrato com a derrota. Quase como em um slogan publicitário, ensinam para cada sonhador: venda-se ao Mercado e tenha uma boa vida.




___Por isso mesmo, acho tristíssimo quando vejo meus alunos, tão novinhos, desistindo dos seus sonhos por medo do futuro.
___Não posso viver como a personagem da tirinha abaixo: o dia todo sofrendo no trabalho, para ser feliz apenas quando chego em casa. Trabalho com o que sempre sonhei e, mesmo sem ganhar dinheiro, sou feliz nos meus empregos.


___Gosto de afirmar que a minha forma de encarar o futuro é, sem dúvida, mais segura. Talvez frugal, mas mais segura – pelo menos quando se fala de felicidade.

17 comentários:

  1. ...esse texto é meio palíndromo ou é só impressão minha? =o

    ResponderExcluir
  2. Poxa Ulisses, eu não sou professor. No entanto, eu vejo que existem pessoas que se realizam de formas diferentes. Existem pessoas que se sentem realizadas através do retorno financeiro independente da função que exerçam, outros realmente preferem ganhar um pouco menos para trabalhar em algo que o realiza. Eu acho que as pessoas tem que correr atrás do que as faz sentir realizada.

    ResponderExcluir
  3. Sem dúvida, Leonardo. As pessoas devem fazer aquilo que as realiza (mesmo se tiverem de trabalhar mais e ganhar menos para tanto). Só me dói o coração ver estudantes, extremamente jovens e cheio de sonhos, abandonando o que querem de verdade por uma "garantia" de retorno financeiro. Por isso bato na tecla. Se alguém é feliz em um escritório fechado, em um serviço monótono e burrocrático, só pq isso lhe dá grana, q seja feliz assim, dou todo o apoio. Só não apóio se o cara vier assassinar o sonho de um moleque de 15, 16 anos de ser músico.

    ResponderExcluir
  4. Que bela reflexão, amigo Ulisses. Disseste, de forma singela e instigantemente articulada e quadriculada uma verdadeira verdade, aquela que muitos não estão a fim de saber. Afinal, é muito mais confortável ceder do que enfrentar, recuar do que avançar.

    Alguns percebemos mais cedo, outros mais tarde, esta verdade. Quão mais tarde, maiores as chances de gerarmos angústia ao nos darmos conta de termos trabalhado para todos menos para nós mesmos, para nossa verdadeira essência ou sentido de vida.

    ResponderExcluir
  5. Ah tá, agora sim eu entendi :)

    ResponderExcluir
  6. Eu, sou uma dessas pessoas , que descobriu tarde demais , essa verdade

    ResponderExcluir
  7. Sempre dá tempo de mudar, Luciana...

    ResponderExcluir
  8. Uai! Cadê o comentário que fiz aqui? Será que está na sua caixa de spam? :-(

    ResponderExcluir
  9. !!!

    Puxa, Rô, nem na caixa de spam está... acho q não foi computado... Sorry...

    ResponderExcluir
  10. Então tentarei novamente...
    Achei o tema ótimo. Eu desde muito nova sempre sonhei em ser independente, mas na minha casa as meninas eram educadas para o casamento. Lembro que na adolescência queria fazer cursos e minha mãe dizia que se não dava para pagar para os meus irmãos então não podia proporcionar somente a mim, mas se meu irmão quisesse tudo bem, pois era homem e depois sustentaria uma família e de nada adiantava eu contrapor dizendo que meus irmãos não estavam nem um pouco afins de estudar... enfim. É incrível como necessitamos de aprovação.
    Quanto a desistir dos sonhos, embora tenha estudado o que sempre sonhei (direito) e adorado o curso fiquei bastante decepcionada (não com o dinheiro, é uma profissão que dá bastante dinheiro), mas pela maneira de como se precisa agir... E principalmente detesto o jeito arrogante de ser dos profissionais da área, então estou prestando concurso para usar o diploma. Depois de trabalhar muitos anos na área administrativa descobri que adoro trabalhar com coisas, mas não com pessoas :-)... Eu sei que para muitos é um porre ficar preso em uma mesa de escritório na maior intimidade com a burocracia, mas eu gosto muito. :-)
    Depois que tive minha filha não fugi muito a regra do ditado: 'mães são todas iguais, só mudam de endereço' :-D... Quando ela era uma adolescente queria fazer tatuagem, colocar piercing, não proibi, mas ela aceitou o argumento de que nessa idade mudamos de ideia com muita facilidade e combinamos que depois que ela completasse a maioridade eu não me meteria... mês passado ela colocou o tal piercing e dei a maior força. Quando ela, quis ser modelo, cheguei a leva-la em uma agência, mas o agente olhou para ela dizendo que ela era perfeita, pois tinha as medidas da ditadura da magreza, não pensei duas vezes em não dar o meu apoio, pois tínhamos descoberto que ela tem problemas com tiróide (do tipo que emagrece horrores) além de uma deformação no estômago que faz com que ela não consiga comer muito, então não consegui dar força.
    Hoje, como ela mesma disse a pouco tempo - estou sempre perguntando se está fazendo o tratamento direito :-) - , esse mês completa 20 anos, já é adulta então toma suas próprias decisões o que sinceramente é um grande alívio... não é nada fácil essa responsabilidade.
    Percebeu como estou tagarela hoje?!!
    Beijos, muitos!

    ResponderExcluir
  11. Ah! Perdi minha conta do gmai... então meu email agora é rocosta_7@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
  12. Antigamente as famílias tinham diversos filhos, pouco dinheiro no bolso e mesmo assim eram felizes. Muitas vezes ñ tinham profissão, ñ precisavam ser formados, ñ necessitvam de Q.I. (quem indica) e tinham chances de um emprego novo, mesmo que ñ soubessem o q precisava fazer. Os filhos usavam um par de sapatos o ano todo e quando ganhavam um novo passavam ao irmão menor. Brincavam na rua, respeitavam os professores e os mais velhos e ñ davam importância ao q vestir ou ter....
    Hoje é tudo tão diferente.
    Tenho muita dificuldade de saber o q ser. O q mais faz feliz? Antes as preocupações eram diferentes. Faço faculdade de RH e gosto, porém apesar de faltar 1 ano pra terminar ainda ñ sei se isso me fará feliz.
    Ñ concordo em pessoas se formarem só pq pais desejam e sonham com isso. Vale muito mais a pena ficar feliz com pouco dinheiro do que cheio de dinheiro e triste. Dinheiro é importante e precisamos dele para criar nossos filhos, na atualidade q o material é tão importante, mas ñ é tudo.

    ResponderExcluir
  13. Ah, e em relação ao esforço........ Sou uma dessas pessoas q ñ acredita muito em mim. Sempre fui assim. Preciso urgente frequentar um psicólogo para entender certas coisas e "ajeitar" outras.
    Pra conseguirmos o q queremos temos q nos esforçar ao máximo e depois ñ ficarmos nos martirizando por ter gasto dinheiro e tempo e ñ ter chegado a lugar nenhum. Eu nadei, nadei e morri na praia.
    Bem, isso ñ vem ao caso pois é uma longa história... rs
    Mas hj tenho q me esforçar para chegar a um lugar melhor, mesmo q hj ñ me faça tão feliz.
    Um dia com certeza ainda farei meu curso de gastronomia e falarei inglês.... Com certeza o esforço valerá a pena...... E tenho q por isso em mente!!!! E me esforçar.

    ResponderExcluir
  14. Hahaha
    Como é burro meu cavalo!!!

    ResponderExcluir
  15. Trabalhar tendo prazer no que faço. Nossa, pra mim isso é um sonho idealizado desde muito nova. Queria/quero, ser biologa, apesar de ser uma matéria na qual não sou muito boa, é uma paixão, um sonho, uma realização de vida. Não venho de uma familia de muito irmãos, nem grande, porém minha mãe sempre foi dona de casa e meu padrasto nunca fez questão de ser meu pai $$, e meu pai, uxi... nunca me viu como filha. Comecei a trabalhar para comprar o básico pra mim e hoje, as coisas não mudaram muito. Apesar de ser nova, uma formação superior pra mim é um sonho! Enquanto isso ... vivo numa sala como na tira. (Em chamas).

    ResponderExcluir
  16. [...] é erro, não. Continue a ler o texto abaixo da figura que a postagem não acabou ali.”. Depois, ele até agradeceu nos comentários. ___O “Sucesso através do espelho” é um texto simples, com uma brincadeira gostosinha: [...]

    ResponderExcluir

Site Meter