15 novembro, 2012

Isso não é um vampiro de verdade!

___Hoje estreia a última parte da chamada “Saga Crepúsculo” e um dos efeitos é que inúmeros não-fãs começam a reclamar dos vampiros que brilham. De inúmeras críticas que poderiam ser feitas, sempre me espanta encontrar gente que reclama que “Esses carinhas brilhantes não são vampiros de verdade!”.


Vampiro de verdade não brilha
Vampiro de verdade não brilha
Vampiro de verdade não brilha


___Por conta disso, tentando colocar um ponto final nesse assunto, convidei para uma pequena entrevista três grandes autoridades em vampiros: Max Schreck, que interpretou Nosferatu em 1922; Anthony Stewart Head, que interpretava Rupert Giles, a pessoa que mais entendia de vampiros no seriado Buffy – a caça-vampiros; e Brad Pitt, que interpretou Louis de Pointe du Lac no filme Entrevista com o vampiro.


###


Incautos do Ontem: Sejam bem vindos. Começo agradecendo o tempo que todos vocês cederam para esta entrevista.
Anthony Stewart Head: Fico feliz de poder trazer mais conhecimento para quem está interessado no assunto.
Max Schreck: Eu ficarei feliz quando você depositar na minha conta bancária o prometido pela entrevista.
Incautos do Ontem: Claro, claro... bem... Vamos direto para o assunto: o que vocês acham do fenômeno Crepúsculo?
Max Schreck: O que é isso?
Brad Pitt: Trata-se, caro Max, de uma propaganda da ideologia religiosa mórmon que Stephenie Meyer, a autora da série, resolveu espalhar com uma historinha de vampiro.
Max Schreck: Ah...
Anthony Stewart Head: Mesmo gostando de livros, eu só aguentei ler o primeiro. Não entendo o motivo para esse sucesso todo. Mas, também nunca entendi bem o sucesso da Buffy.
Brad Pitt: Pessoalmente, quase tudo o que eu tenho a dizer sobre o fenômeno já foi dito por um tal de Felipe Neto.
Incautos do Ontem: E sobre as reclamações frequentes de que “Vampiros que brilham não existem!”, qual a opinião de vocês sobre essa polêmica?
Anthony Stewart Head: É claro que os vampiros brilham. Olha o sucesso que o Crepúsculo e um monte de livros, séries, jogos e filmes sobre vampiros já fizeram.
Brad Pitt: Não há dúvidas que é divertido falar que, como o Edward Cullen brilha, voa e mora na floresta, ele é uma fadinha, não um vampiro. Só que, falando sério, quem diz que algum tipo de vampiro existe – sejam os que brilham, sejam os que queimam ao sol –, precisa muito de um tratamento. É sério mesmo que existe gente que defende que existe algum tipo de vampiro “correto”? Seria a mesma coisa que brigar para dizer que a cor correta de um ork é verde-abacate e não verde-vómito-de-bebê.
Max Schreck: Alguém que está levando a sério uma entrevista, dada em 2012, com um cara como eu, que morreu em 1936, deve acreditar em vampiros que brilham, que se queimam com água benta, que sabem o e-mail do Batman, que tomam sopa de AB negativo e assim por diante.
Incautos do Ontem: Comparando as versões cinemat...
Brad Pitt: Desculpe-me, senhor Ulisses, mas está quase amanhecendo e eu preciso ir. Sabe como é, né? Eu ganho a vida como ator bonitão e o sol pode acabar fazendo mal para a minha pele sensível...
Incautos do Ontem: Ah... claro, senhor Pitt. Obrigado pela sua participação... Opa... Cadê o Max Schreck?
Anthony Stewart Head: Eu sei que vai ser difícil de acreditar, mas eu acho que ele virou aquele morcego que acabou de sair voando pela janela.
Incautos do Ontem: Quê?!? Tá brincando comigo?
Anthony Stewart Head: Não estou não. Com o sol surgindo eu pod... O que é aquela coisa brilhando lá fora?


#####


P.S.: Aproveitando o assunto, deixo uma imagem extra.


Twilight Moms

2 comentários:

  1. Serei julgado se eu confessar que não consegui terminar de assistir o Felipe Neto?
    No mais, ótima sacada, haha.

    ResponderExcluir
  2. Não se preocupe, Rudá, vc não será julgado por isso. Eu tb não tenho paciência para todos os escândalos #cms do Felipe Neto. Quem gosta dele é o Brad Pitt.

    ;-)

    ResponderExcluir

Site Meter