02 julho, 2013

The Boys – Quadrinhos adultos?

The Boys #14
___Comecei a ler a HQ The Boys, de Garth Ennis, depois de receber as mais fortes recomendações. Até procurei algumas resenhas pela internet e só encontrei os mais desmedidos elogios. A base dos louvores à HQ é que se trata de “quadrinhos de super-heróis realmente para adultos”, com muita ironia e violência. Sem dúvida, algo “Genialmente doentio”.
___Li, até agora, os 14 primeiros números – quatro arcos narrativos completos. Sinceramente, não me parece uma HQ “realmente para adultos”, mas, simplesmente, quadrinhos escritos e desenhados por adolescentes que jogaram muitos videogames sangrentos. Realmente The Boys, com a pena de Darick Robertson, mostra imagens mais pesadas do que quadrinhos comuns, no entanto me parece que se trata apenas de uma HQ que tenta se levar muito a sério por ter “coragem” para falar “abertamente” sobre sexo e violência.
###
___A sinopse introdutória que a HQ faz de si mesma é a seguinte:
Num mundo onde heróis fantasiados elevam-se aos céus e vigilantes mascarados espreitam na noite, alguém teria de cuidar para que os ‘supers’ não saíssem da linha. E alguém cuidará.
Billy Açougueiro, Hughie Mijão, Filhinho da Mamãe, O Francês e A Mulher são The Boys: uma equipe financiada pela CIA composta por pessoas perigosíssimas, cada um dedicado a lutar contra a força mais perigosa da Terra – superpoderes. Alguns super-heróis têm que ser observados. Alguns têm que ser controlados. E alguns deles – de vez em quando – têm que ser tirados de cena.
É quando você chama The Boys.
 
___O mote, não nego, é bem promissor. O problema está exatamente na execução. 
___Um dos pontos altos da HQ está exatamente em tirar sarro e ironizar as histórias clássicas de super-heróis. Para dar um exemplo próprio do universo do The Boys, não deixa de ser um furo das histórias em quadrinhos clássicas deixar de problematizar como um herói com superforça ou supervelocidade consegue transar. Será que o parceiro do herói não sairia machucado? A HQ de Garth Ennis trabalha bem com esse ponto. 
The Boys #4 - Sexo com um super-herói
___Só que é bom não brincar com fósforos se não se quer começar um incêndio. Apontar os furos dos outros e esquecer os próprios é sempre um problema. 
###
___No sexto número, Billy Açougueiro justifica um grupo secreto para “tomar conta” dos super-heróis explicando o conceito de taxa de tolerância para baixas. “Tolerância de baixas é um limite fixado para unidades táticas da polícia no resgate de reféns: se você perder menos de 20% dos indivíduos que veio resgatar, digamos assim, então tudo está correto. Ninguém perde o emprego por causa disso. Exceto que para supercaras a tolerância é de 60%.”. A tolerância alta para super-heróis se dá exatamente porque eles não tiveram nenhum treinamento e, por isso mesmo, são muito amadores, fazem muita merda. 
___Em meio às ações dos super-heróis mal treinados, muitos inocentes sofrem. Como é possível ver no primeiro número, com a morte da garota de Hughie Mijão.
The Boys #1
___O problema é que a mesma HQ que aponta o furo que é imaginar que super-heróis sem treinamento têm muita chance de errar e ferir inocentes, comete o mesmo erro. Um grupo teoricamente preocupado com o bem estar de inocentes perante poderes super-humanos mal treinados, coloca Hughie Mijão, com superpoderes e sem treinamento, em ação. 
___Fácil criticar o rabo alheio e difícil olhar o próprio.
###
___Minha crítica, entretanto, não está pautada apenas em uma escorregada pontual. Outro ponto que me incomoda nessa “HQ realmente para adultos” está no fato de que Garth Ennis e Darick Robertson não parecem ter crescido tanto assim. 
___A montagem das histórias e os desenhos parecem progredir pouco além de um moleque machista, com uma criação tradicional, que afirma sua masculinidade tratando violência como algo banal e tentando se mostrar à vontade quando o assunto é sexo. 
___De tudo o que eu li até agora, o sexo é sempre tratado como algo sujo, errado, pervertido. Para um quadrinho com tanta “coragem” para falar de violência e mostrar rostos esmagados, dedos arrancados e mais sangue do que um filme do Tarantino, é impressionante que, ao falar de sexo, nenhuma genitália tenha aparecido. E falando de mostrar algo, como é comum na nossa sociedade machista, homens mostram, no máximo, o traseiro. Por outro lado, bundas e peitos, assim como outros atributos femininos, aparecem à exaustão. 
___O auge da infantilidade em relação ao sexo aconteceu no terceiro arco narrativo – “Pegue um pouco” –, ocorrido entre os números 7 e 10. Um dos destaques dessa história é o super-herói Tek Knight, que desenvolve a tara incontrolável de querer foder com qualquer coisa, em qualquer lugar. No epílogo, Tek Knight salva o mundo ao enfiar o pinto em um buraco de um meteorito “que parece ter matéria orgânica no interior”. 
The Boys #10
___Essa forma infantil de encarar o sexo leva a incontáveis atitudes e falas moralistas na boca das mais diversas personagens. Muito mais do que quadrinhos revolucionários, The Boys me parece caminhar por um caminho muito mais reacionário. Todo um ar de crítica e quebra de paradigmas, mas reacionário. 
___Talvez eu esteja errado, talvez a continuação da HQ seja muito mais profunda. Não que seja necessário algum superpoder para salvar The Boys, mas é bom que a revista cresça bastante para que eu ache que vale a pena continuar lendo os mais de 50 números que restam. 


4 comentários:

  1. Você já experimentou ler mangá? Provavelmente você não é do tipo de pessoa que lê Naruto, Bleach e essas coisas. Uma boa recomendação para você seria "Lobo Solitário". Talvez seja o mangá adulto mais conhecido no Japão. Ele fala sobre o período dos samurais. Para um professor de história acho que é excelente. Fica a dica. :)

    ResponderExcluir
  2. Olá, anônimo. Eu tb leio mangás. Muito obrigado pela indicação. Aproveitando, eu indico o mangá 'Gen', de Keiji Nakazawa.

    ResponderExcluir
  3. haahha até das Criticas de HQ vem gente encontrar machismo e acusação de reacionário !! acho que voce viajou nesse ponto ! a proposta do autor e pura esculhambação, segundo o mesmo ! de tanto ver excesso de super herois nas pra vender na plateleira das bancas ele ficou de saco cheio e resolveu dar uma zoada ! enfim , mas claro respeito sua opinião e acho que escreves bem ! lerei os outros textos do seu blog !
    Sobre a critica a The boys ! eu pego no seguinte, ele quis esculhambar com os heróis e acabou cirando um grupo de heróis ! uma certa contradição ! podemos nos estender mais nesse assunto.

    Sobre hq adulta ! de uma olhada em Daytripper ! brasileiros fazendo bonito lá fora !

    um abraço e vida longa , e sucesso para seu blog.. ou site !

    Henrique

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pela indicação, Henrique.

      Sobre eu ter viajado ou não ao ver machismo, não vou debater; mas tenho uma indicação interessante. Dá uma lida nesse texto aqui: http://escrevalolaescreva.blogspot.com.br/2011/12/as-poses-das-superheroinas.html

      Grande abraço.

      Excluir

Site Meter