05 junho, 2009

Paraíso com prazo de validade

_____Não é necessário me conhecer muito para saber que gosto de trabalhar. Trabalho com todo o prazer do mundo e sou apaixonado por minhas profissões. Não é à toa que, durante o meu tempo livre, faço exatamente o que faria no serviço: danço, falo de História, leio, escrevo, vejo filmes, vou ao teatro. Se eu conseguisse mais horas no meu dia, seria para “trabalhar”.
_____Sei que nesse momento algum chato deve estar querendo falar “Ah, mas se meu trabalho fosse dançar, ver filmes ou qualquer outra dessas coisas eu também gostaria de trabalhar.”. Sinceramente, do fundo do meu coração, tenho vontade de mandar pessoas assim para o inferno. Eu escolhi minhas profissões e trabalho com isso porque gosto. Quem não gosta da própria profissão, que mude de trabalho e vá ser feliz.
_____Mesmo assim, é importante dizer: de todos os meus trabalhos, o que mais gosto é o mais clássico, o mais “normal” de todos: lecionar. Ensinar História é a minha paixão e uma das coisas da vida que mais me faz feliz. Mesmo assim, depois de mais uma década de carreira, algo faltava.
_____Eu já havia lecionado para todos os tipos de públicos, de militares reacionários a adolescentes rebeldes, de criancinhas a pessoas da terceira idade, de gente formada querendo se especializar a extraterrestres querendo abduzir moças loiras e desimpedidas. Já trabalhei em cursinhos, supletivos, faculdades, colégios. Dei aula para sexto ano do ensino fundamental (na época era 5ª série), último ano de faculdade, ano único de supletivo. Ensino público e privado. Já havia experimentado de tudo.
_____Tudo, menos uma escola boa de verdade.

#####



_____Aqui vale um adendo. Escolhi a palavra “escola” de propósito.
_____Como eu disse, já lecionei em diversos locais, para diversos públicos. Mesmo assim, sei bem qual a minha preferência: gosto de ensinar para adolescentes. Por isso disse que o que me faltava era experimentar uma escola boa de verdade. No entanto, vale dizer, isso não quer dizer de maneira alguma que as faculdades e supletivos em que eu dei aula eram bons.

#####



_____Claro que eu já lecionei em escolas aceitáveis (apenas escolas mesmo; nunca lecionei em uma faculdade ou supletivo que prestasse). Elas tinham pontos positivos, mas pecavam em muitos quesitos. A verdade é que, tirando raríssimas exceções, nenhuma delas estava realmente interessada em ensinar. As exceções que conheci, mesmo bem intencionadas, encontravam o obstáculo da falta de dinheiro, de bons profissionais e/ou de organização.
_____Faz uns meses, entretanto, fui contratado por uma escola fantástica. Uma das melhores escolas de São Paulo. Um lugar que eu sempre sonhei em trabalhar. E, para meu completo pasmo, ela é melhor do que eu havia sonhado.  Se eu já era feliz com a minha profissão principal, sou, hoje, um cara mais feliz ainda. Nada mais falta.
_____Claro que a Escola não é perfeita; obviamente existem pontos em que ela poderia melhorar. Mesmo assim, o ensino é a sua prioridade e os resultados são extremamente positivos. A preocupação com os alunos é constante (nunca havia visto uma reunião pedagógica com um número maior de professores interessados em ajudar os alunos a aprender do que interessados em castigá-los), os investimentos, claramente destinados à melhoria do colégio e a liberdade e diversidade de opiniões, imensas. O corpor docente, ao contrário do comum nos colégios, pesquisa. Um paraíso pedagógico.
_____O único problema desse sonho é que o despertador vai tocar uma hora dessas. Fui contratado como professor substituto e, no final do ano que vem (o diretor deixou claro no dia da contratação), terei de deixar o colégio. Minha felicidade em trabalhar lá é incomensurável. O que vai acontecer quando eu não puder mais dar aula na Escola é que me assusta.

21 comentários:

  1. Nem me fale desses chatos, Ulisses. Eu já ouvi cada barbaridade quando disse que eu era músico. Estudar para mim é ouvir música e ir a concertos, bem como ler bons livros. Trabalhar é sentar à mesa com uma folha pautada em branco ou ao piano, e eu faço isso durante longas horas do meu dia. Eu fiz a minha escolha e sou feliz com ela.

    ResponderExcluir
  2. É bom que existam professores apaixonados por seu trabalho.
    Meu pai foi professor de matemática na UFRGS e de física numa escola de Ensino Médio.
    Como professor de Ensino Médio, ele se decepcionou e se desgastou muito. Ele é uma pessoa super empolgada com a ciência e realmente se empolgava nas aulas tentando levar os alunos mais além do que o simples: "decora fórmula e joga tudo aí". Tentou mostrar o sentido das coisas. Fui aluna dele e realmente achava as aulas dele interessantes. Mas a reação dos alunos era muito frustrante. Não se interessam por nada que fuja um pouquinho do cotidiano. A cada frase existia uma interrupção (assuntos paralelos, fofoquinhas, bla bla bla).
    Bom, não preciso dizer que a idéia de algum dia ter que dar aula me abominou e fui para uma área onde não precisaria fazer isso.
    Não sei se existe algum professor de física ou de matemática que goste de dar aula. Mas pelo menos de história, literatura e assuntos mais humanos existem. :)
    Tvz dar aula não seja tão ruim afinal, é só escolher a área certa. hehehe

    ResponderExcluir
  3. Aliás, lembrei da minha professora de história agora. Inteligentíssima, sabia abordar os assuntos de forma que levassem os alunos a pensar e questionar, mudou minha visão sobre a matéria na época. :)
    Óbviamente, a maioria dos alunos tb não gostavam muito dela, acho que não gostavam nada que os forçasse a pensar. x]~

    Vai que gostam tanto do teu trabalho aí nessa escola que resolvem te contratar de vez. :D

    ResponderExcluir
  4. A professora Aparecida, que me deu aula de História no 2º Grau (no meu tempo se chamava assim, rsrsrs), é inesquecível para mim. Ela já estava perto de se aposentar quando me ensinou (uns 12??? anos atrás) e hoje é uma bela senhora de cabelos brancos e um pouco esquecida.

    Quando a encontrei a última vez, notei que não me reconheceu de imediato (e talvez nem depois), mas ficou emocionada quando falei que não esquecia de suas aulas. Com um sorriso triste e olhar longe disse que gratidão assim é coisa rara.

    ResponderExcluir
  5. Depoimento comovente... uma pena!
    Lembre-se que eu, e mtos dos seus alunos (a grande maioria) considera você, por mérito, um dos melhores professores com quem já tiveram prezar de ter aula.
    Parabéns pelo texto e sucesso!

    ResponderExcluir
  6. Ulisses, eu tenho orgulho de ser seu aluno. Você é o melhor professor que já tive, eu que já gostava de história gosto mais ainda =]~ (baba ovooo)

    ResponderExcluir
  7. É tão bom ver uma pessoa tão feliz com aquilo que faz. Sério, é lindo *-*
    Aproveite muito o tempo de ETESP, tu com certeza vai ser lembrado como um dos melhores professores que a escola já teve. =)

    ResponderExcluir
  8. Eu ainda acho, que se algum dia voce tiver que sair da ETESP, nos, alunos, vamos fazer greve, igual no dia da falta de funcionarios de limpeza. xD
    Como todos disseram acima, voce foi e ainda é o melhor professor de historia que tive (tenho)

    ResponderExcluir
  9. O melhor de tudo é ver os comentários dos alunos, não?

    ResponderExcluir
  10. Se o teu trabalho for de embasbacar a diretora, quem sabe vc não fica como fixo??? tem chão até o final do ano...

    ResponderExcluir
  11. É fato na minha vida: sempre detestei padres e sempre amei professores de história hehehe
    Tudo é possível então ficarei na torcida para que a sua história diferencie da estória de 'Adão'
    Vida longa ao professor Ulisses no paraíso ;-)
    Beijos muitos

    ResponderExcluir
  12. Fiquei curioso com o nome da escola. Iniciais são possíveis?
    Se for CSC tento mexer uns pauzinhos por lá...

    ResponderExcluir
  13. gugaa , leia os comentário X].
    E professor, nada que um abaixo-assinado ou uma greve geral não resolva. Vcoê merece

    ResponderExcluir
  14. Nana, Cin, bem que eu gostaria. O problema é que o colégio é público e só é possível ficar lá mais de dois anos se você for concursado. Dar as melhores aulas do mundo, deixar todo mundo embasbacado não vai me fazer continuar por lá.

    Nádia, você tem razão, é fantástico ver alunos e ex-alunos aparecerem por livre e espontânea vontade e me elogiarem publicamente, sem nada em troca.

    Guga, como meus alunos já revelaram acima, o colégio é a ETESP. Ah... e obrigado pela atenção. Se quiser mexer uns pauzinhos no CSC eu q não vou reclamar. Mto pelo contrário. A sorte será do colégio. Só não esqueça que estou bem longe de ser um professor tradicional (os alunos vão aprender e adorar a aula... a direção eu não sei).

    Alunos e ex-alunos q me acharam e pela internet apesar do pseudônimo, mto obrigado. Fico realmente feliz com os elogios de vcs.

    ResponderExcluir
  15. tá, e quem disse que os alunos da ETESP vão deixar você sair? o Carlos não manda em nada nãããão /o/
    quem manda lá mesmo é a Adeilda garotão! vai na dela que é sucesso!

    ResponderExcluir
  16. isso mesmo gabriel em 2010 vamo faze greve nem que seja por 1 mes ate contratarem o "Ulisses" novamente xD..

    ResponderExcluir
  17. Vai ter greve u.U
    ashuahsuahus
    A sorte é toda nossa de ter um professor assim
    É muito bom sentir o prazer que ele tem emm dar aula :)
    dá muito gosto em ter aula com ele , pq ele se sente feliz fazendo, mesmo quando acerta certas pessoas com o giz. Ele ainda naum me acertou o/ soh dexa ele saber quem eu sou que vai chover giz ><

    ResponderExcluir
  18. E o melhor é que você mudou o modo de muitas pessoas pensarem, o que considero uma das mais díficeis coisas de se conseguir...

    ResponderExcluir
  19. [...] o parecer do MEC de janeiro do 2012 permite uma enganação pedagógica dessas também não cola. Sou professor na ETESP desde 2009 e durante 2009, 2010 e 2011 Sociologia e Filosofia também não foram disciplinas do primeiro [...]

    ResponderExcluir
  20. Aposto que vc deve sentir algo engraçado ao ler isso depois de alguns anos.
    Maior sorte da ETESP ter te segurado como professor, de longe o melhor professor que eu já tive.

    ResponderExcluir
  21. Obrigado, Will.

    Para ser sincero, qdo leio este texto, sinto-me feliz pela minha percepção. Eu não mudaria nenhuma palavra. Amo a ETESP e, enquanto estiver nela, vou continuar lutando ao máximo para melhorá-la cada vez mais.

    Obrigado novamente.

    Abraços.

    ResponderExcluir

Site Meter