11 maio, 2014

Como (não) educar uma criança

Postagem dedicada a Frank Jaava
que, como Adriano, acabou de virar pai.

___Certo dia, logo depois do nascimento do meu sobrinho, minha sogra chegou e disse: 
___– Agora que você vai conviver com uma criança, é bom você se instruir direito sobre o assunto e sanar as falhas da sua formação incompleta. 
___Fiquei um pouco embasbacado com a fala e, antes que eu pudesse esboçar alguma reação, ela me estendeu um livro: As Crianças, “baseado nas obras de L. Ron Hubbard”.

Manual de cientologia sobre como educar crianças

___Sim, é um “manual” sobre como educar crianças, baseado nas ideias do doido que fundou a Cientologia. 
___Devo ter feito uma careta quando me toquei do que se tratava, pois minha sogra logo emendou:
___– Larga de ser preconceituoso. Tudo que está no livro tem um bom motivo para ter sido colocado aí. Leia que você vai ver como vai ajudar.
___Sorri amarelo e guardei o livro. Só que minha sogra não esqueceu e, sempre que me encontrava, cobrava a leitura. “Você já leu o livro sobre como educar uma criança? Tem que ler logo ou vai ser tarde demais. Seu sobrinho vai crescer e você vai fazer um monte de bobagens.”. 
___Concordo que vou fazer um monte de bobagens, mas considero isso a coisa mais natural do mundo. Também considero natural não querer a minha sogra enchendo o meu saco, reclamando na minha orelha, incomodada com a minha “formação incompleta” e, portanto, peguei o livro para ler. 

###

___Como era de se esperar de uma obra religiosa, o texto é cheio de verdades universais, estereótipos pobres e fórmulas prontas. Bem do tipo se você fizer tal coisa com um bad boy, magicamente você obterá tal resultado. Mesmo assim, avancei. 
___Avancei até chegar ao ponto em que o livro explica um dos grandes motivos para a educação das crianças na nossa sociedade não dar certo. Cito:
A razão pela qual as pessoas começaram a confundir as crianças com cães e começaram a treinar as crianças com força, está no campo da Psicologia. O psicólogo trabalhou em ‘princípios’ como os seguintes:
‘O Homem é mau.’
‘O Homem tem de ser treinado para ser um animal social.’
‘O Homem tem de adaptar-se ao seu ambiente.’
Como estes postulados não são verdadeiros, a psicologia não funciona. E se alguma vez viu uma pessoa destroçada, ela é o filho de um psicólogo profissional. A atenção no mundo à nossa volta, em vez da atenção nos textos que alguém pensou, depois de ter lido os textos de outra pessoa, mostra-nos o erro destes postulados.
___Duvidam? Dá para ler aqui na internet. Tomem o link

###

___Portanto, segundo o livro que iria me ajudar a criar uma criança, a Psicologia não funciona. Mais do que isso, todos os psicólogos partem do pressuposto que “O Homem é mau.”. E, por fim, sem a menor sombra de dúvida, “uma pessoa destroçada, ... é o filho de um psicólogo profissional”*.
___Pouco depois de ler outras barbaridades do tipo, achei que já tinha o bastante para dizer para a minha sogra que ler aquele livro tinha mais chance de fazer mal para o meu sobrinho do que bem.** Ela, revoltada, disse que eu sou um preconceituoso, que não me abri para a mensagem do livro, blábláblá, filho de psicólogo, blablabla. 
___Não tenho paciência, nem muita vontade de ficar lutando para fazer com que minha sogra deixe de ter essas visões de mundo deturpadas. Prefiro continuar focando minhas forças em fazer com que o meu sobrinho veja o mundo (e os psicólogos) de uma maneira melhor

__________
* A expressão “pessoa destroçada” é o que aparece na página oficial dos cientólogos aqui na internet. O livro, na página 5, diz que “se alguma vez você viu uma ruína, esta é o filho de um psicólogo profissional.”. 
** Para falar a verdade, acho que ver esse pequeno vídeo do Nyan Cat tem mais chance me ajudar a ser um bom tio do que ler aquele lixo. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Site Meter