06 junho, 2014

A crueldade com a população de São Paulo

___Já tendo sofrido um pouco por causa da greve do metrô de São Paulo na quinta, tentei me informar sobre o que estava acontecendo antes da sexta-feira de trabalho. Para tanto, entrei no site do metrô. Assim que o site abriu, apareceu um pop-up dizendo que “Apesar das ações do Sindicato dos Metroviários que prejudicam a população, o Metrô está fazendo todos os esforços para manter o atendimento aos seus usuários” (grifos meus). 

Pop-up sobre a greve no site oficial do metrô

___Mais ainda. No Twitter o @metrosp_oficial, às 21h30min, gritava que “MANUTENÇÃO DA GREVE É CRUELDADE COM A POPULAÇÃO”.

Tweet criminoso do @metrosp_oficial

___Puxa vida, será que os metroviários realmente querem prejudicar a população? São eles cruéis com os usuários? Mesmo? Aquelas pessoas que todo dia veem a população sofrer com a pequena malha ferroviária paulistana, que sentem literalmente na pele a superlotação do metrô nos horários de pico e que quase sempre parecem simpáticos, atentos e educados ao atender os usuários são mesmo pessoas que não se importam com a população? Achei que valia a pena investigar um pouco mais. 
___Conversei com algumas pessoas que trabalham no metrô e entrei no site do sindicato dos metroviários. Pode parecer impressionante para quem acha que os trabalhadores do metrô são pessoas cruéis, mas o que eu descobri foi uma versão um pouco diferente da apresentada no site oficial do metrô. Entre outros pontos, os metroviários propuseram fazer a greve trabalhando de graça, com as catracas abertas. Alguém duvida? Confira, então, no site do sindicato. A proposta está lá, pública, para todo mundo – inclusive o governador – ver. 

Print Screen do site do sindicato dos metroviários

___Colo outro trecho do site do sindicato

PARA ATENDER A POPULAÇÃO, PROPOMOS: ACEITAMOS TRABALHAR DE GRAÇA COM CATRACAS LIVRES
O governador Alckmin continua atuando de forma intransigente e prejudicando a população. Por isso, desafiamos o governo estadual: aceitamos trabalhar de graça, com catracas livres.
Já fizemos esta proposta durante audiência no Tribunal ontem (5/6), mas o governo não aceitou. É mais uma demonstração de que buscamos a negociação e priorizamos a população, enquanto o governo só se preocupa com o lucro. 

___Nesse mesmo link, os metroviários ainda acrescentam uma informação importante:

Além de intransigente, o governador Alckmin é irresponsável. Poucos trechos do metrô estão funcionando. E para piorar a situação, quem está operando o metrô não são os funcionários de sempre. São supervisores que estão desempenhando uma função sem o preparo adequado.

___Os metroviários foram bem claros na proposta para não prejudicar a população. E, sem dúvida, ao ignorar essas propostas, o governador também foi bem claro na sua falta de vontade de cuidar da população. 

Catraca livre é prejuízo direto ao patrão. Pergunte ao @geraldoalckmin_ #Charge @Metroviarios_SP, por Carlos Latuff

___Por que o governador não aceitou as catracas livres como demonstração de greve e negociou? Simples, porque ele – e os funcionários que escrevem no @metrosp_oficial – é que estão sendo cruéis com a população. É o governador Geraldo Alckmin, o PSDB e os funcionários que escrevem no site oficial do metrô que prejudicam a população. 
___Dizer que quem faz mal aos usuários do metrô são os grevistas – que propuseram fazer greve abrindo as catracas –, além de uma atitude mentirosa, é algo criminoso. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Site Meter